Comunicar pode ser fácil... Se no tempo que a vida nos permite procurarmos transmitir o essencial, desvalorizar o acessório e contribuir, num segundo que seja, para que a mensagem se assuma como tal e não como um universo de segredos...

11
Set 07
A análise do conteúdo informativo produzido pelo Jornal da Madeira e pelo Diário de Notícias da Madeira, entre os dias 23 de Abril e 13 de Maio de 2007 (período que inclui a campanha eleitoral), revela alguns casos interessantes.
Como referimos em nota anterior, neste período foram publicadas 794 peças noticiosas divididas da seguinte forma: DNM 474 e JM 320.
Os dados que apresentamos de seguida são mais algumas pistas para percebermos e caracterizamos o trabalho jornalístico durante a fase mais importante deste período eleitoral na Região.


55 JORNALISTAS ASSINSARAM PEÇAS DURANTE A CAMPANHA

Finalmente, durante o período de campanha as peças jornalisticas publicadas tanto pelo DNM como pelo JM foram assinadas por um total de 55 jornalistas.
Uma nota de destaque para sublinhar a diferençano número de jornalistas que escreveram no Diário e no Jornal.s
Trinta e nove jornalistas do Diário deram nome às noticias do período de campanha e no Jornal esse número foi só de 16 jornalistas. Diferença que justifica o facto dos jornalistas do JM terem escrito maior número de notícias. Por exemplo, o jornalista que escreveu mais notícias atingiu as 19 peças. No caso do JM, o jornalista que mais assinou peças fê-lo por 29 vezes.

REPORTAGENS E BREVES

Quanto ao tipo de trabalho jornalístico efectuado pelos jornalistas é de realçar que em termos de reportagem os dois matutinos publicaram um número aproximado de peças: 206 no Diário e 214 no JM. A maior diferença verificou-se no que diz respeito às notícias breves. O DNM publicou 118 e o Jornal 16. Esta diferença revela claramente o estilo de paginação dos dois jornais.

No plano dos artigos de opinião registou-se um nível aproximado apesar do DNM continuar a registar mais artigos desta natureza ao longo da pré-campanha e campanha: 51 do Diário por 35 do JM.

Uma das particularidades desta comparação do tipo de trabalho publicado está nos artigos que se associam à sátira e crítica. No DNM registamos 20 e no JM nenhum. Será estilo ou posicionamento público dos meios em questão?

Outra nota de merecido registo é a publicidade. Sobre este item podemos referir que se tratou exclusivamente de publicidade partidária, a anunciar os eventos de campanha. No DNM registamos 46 espaços e no JM 24. No Diário houve uma maior diversidade de partidos que utilizaram ete instrumento. Esta diferença é também explicada pelo facto do DNM ser considerado o jornal com maior audiência?

SUPLEMENTOS ESPECIAIS NOS DOIS JORNAIS

Quanto ao tipo de rubricas, a primeira nota vai para os suplementos especiais criados por ambos os jornais para dar todas as incidências do dia das eleições e os seus resultados. Nestes suplementos o DNM publicou 57 peças e o JM 47.

Mantendo a tendência das anteriores análises, o DNM concentrou o grosso da informação política nas suas páginas de política (248 peças) e o JM no espaço Região (171). O espaço de opinião e a última página são os outros espaços que receberam maior volume de noticiário.

FONTES POLÍTICAS DOMINAM

No que diz respeito ao tipo de fontes, confirma-se que são na sua larga maioria políticas, tanto no DNM (283) como no JM (220). O que não constitui surpresa dado o momento político.
Neste quadro é também interessante registar o número de peças com origem nos jornalistas ou sob a batuta das editorias (122 no DNM e 55 no JM).


PSD E JARDIM MAIS VEZES NOS TÍTULOS DO DNM

Na análise aos títulos para determinar qual a participação dos pricipais actores da campanha, individuais ou partidários, a tendência anterior em relação a Jardim mantêm-se, ou seja, tanto no JM como no Diário foi dos actores mais referidos nos títulos.

No Diário, Jardim e o PSD arrancaram 48 referências em títulos e a dupla oposta, PS e Serrão, 34 referências. Em termos individuais, Serrão só mereceu 7 referências em títulos, o mesmo número no DNM e no JM, e o PS 27 referências, o máximo entre os dois jornais.

Uma nota de referência para apontar que o PSD mereceu muito menos referências em títulos no JM do que no Diário: 23 contra 8. Outra nota de interesse é que o Movimento Partido da Terra foi o único dos partidos considerados pequenos que ultrapassou a duas dezenas de referências nos titulos, o que aconteceu no Diário.

O *astrisco*
publicado por Marco Freitas às 10:38

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Setembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
14
15

16
17
18
19
20
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Sobre mim e autores
pesquisar
 
links
blogs SAPO