Comunicar pode ser fácil... Se no tempo que a vida nos permite procurarmos transmitir o essencial, desvalorizar o acessório e contribuir, num segundo que seja, para que a mensagem se assuma como tal e não como um universo de segredos...

17
Fev 08
A análise da cobertura noticiosa relacionada com a demissão de Alberto João Jardim e consequente período eleitoral foi tema recorrente no *astrisco* no último ano.
Como os nossos leitores sabem, foi elaborada uma primeira análise ao período que rodeou a decisão de Jardim e ao mês que se seguiu, Março. O passo seguinte foi a apresentação dos resultados do mês de Abril e, posteriormente, estudamos a última fase da “crise” política que atingiu a Madeira, a campanha propriamente dita.
Aos leitores do *astrisco* proporcionamos uma análise específica sobre o período de campanha e os dias que se seguiram após a noite eleitoral. Esta análise foi compartimentada entre os dias 23 de Abril e 13 de Maio de 2007, precisamente uma semana depois do domingo das eleições.
Neste período de 21 dias (mais 10 dias do que a análise pós-demissão e menos 10 do que o mês de Março) foi publicado um total de 795 peças noticiosas. O Diário de Notícias da Madeira (DNM) publicou um total de 474 notícias e o Jornal da Madeira (JM) 321.
Comparativamente a outros períodos que analisamos - cujos dados podem ser consultados em anteriores artigos – este é sem dúvida um dos momentos editoriais mais profícuos. A este propósito deve-se referir que registamos como notícia para efeitos de análise todos os artigos que se referiam directamente ao momento eleitoral e que não foram confinados ao espaço específico que os meios de comunicação definiram para a acção de campanha dos partidos. Exemplos disto são as notícias relacionadas com as inaugurações e as polémicas que surgiram.
Como já foi referido, esta é uma das fases da análise que vai merecer a maior ponderação e estudo. No entanto, em jeito de proposta de discussão e de hipótese de trabalho, há um par de notas que podemos desde já partilhar:
1 – Na imensidão de artigos publicados nestes dias só detectamos 3 títulos com referência à Lei da Finanças das Regiões Autónomas. É certo que o tema deverá ter sido referido na campanha mais algumas vezes, mesmo que não tenha merecido honras de título. Contudo, não deixa de ser um indicador interessante que nos leva a considerar que será do nosso interesse analisar até que ponto a LFRA foi tema de discussão numa campanha que foi precisamente provocada pela sua promulgação.
Com um pequeno esforço de memória, depressa nos apercebemos que o tema foi desvalorizado durante a campanha, tanto pelos políticos como pela comunicação social. Muito provavelmente foi considerada matéria mediática esgotada...! Esta é uma hipótese de trabalho que queremos estudar em pormenor.
2 – Uma outra nota de realce é o recurso às aspas nos títulos. Uma medida editorial que é prática comum noutras alturas ou em particular numa fase tão sensível como um período eleitoral, em que os discursos dos partidos devem ser protegidos e difundidos sem erros? Vale a pena comparar o período imediatamente anterior à campanha com o da campanha.
3 – Para os dias de campanha, tanto o JM como o DNM, reservaram um espaço específico para as notícias sobre as acções políticas, com rubricas específicas, como por exemplo a agenda diária dos partidos.
publicado por Marco Freitas às 10:48

Fevereiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sobre mim e autores
pesquisar
 
links
blogs SAPO