Comunicar pode ser fácil... Se no tempo que a vida nos permite procurarmos transmitir o essencial, desvalorizar o acessório e contribuir, num segundo que seja, para que a mensagem se assuma como tal e não como um universo de segredos...

03
Set 08
O jornalismo está a viver um momento de mudança acentuado. Para além dos muitos factores endógenos que têm largamente contribuído para a crise de identidade do jornalismo, com consequências visíveis na sua praxis, a multiplicidade de canais de comunicação e de informação que a Internet vem possibilitar é, sem margem para dúvidas, uma das razões para as mudanças que se vivem no sector...

Hoje, foi noticiado que vai arrancar um novo site de"jornalismo de cidadão". Chama-se Dernotix e tem como objectivo preencher um vazio criado nos grupos de media ao nível dos correspondentes internacionais. Para o fundador do site, Turi Menthe, a sua função será a de "ajudar os jornais e os produtores de programas informativos" fornecendo conteúdos ´que muitas vezes passam despercebidos ou não estão facilmente acessíveis.

Este projecto é mais um entre muitos que têm surgido em alternativa a um jornalismo orientado e fechado em termos de conteúdos informativos. Apesar dos benefícios que este tipo de jornalismo acarreta - se é que se pode chamar de jornalismo à mera recolha e disponibilização de conteúdos em rede - todo o cuidado é pouco na interpretação desses conteúdos e nas respectivas mensagens que propagam... São sobejamente conhecidas as fraudes no campo jornalistico - particularmente a nível internacional - praticadas inclusive por alguns jornalistas de reputação inabalável... Encontramos notícias fabricadas, foto truncadas, factos inexistentes, fontes inventadas. No melhor pano cai a nódoa e não são estes casos que devem manchar e ferir a importância de um sector como o dos media na nossa sociedade.

O jornalismo de cidadão não é sinónimo de jornalismo de cidadania. Pode ser, se for praticado de forma responsável... Uma responsabilidade que se pede ainda mais aos jornalistas de hoje e aos meios de comunicação social porque são estes quem têm a capacidade de filtrar as impurezas que o cidadão-jornalista não sabem ou não quer ver e tratar... A notícia não é um mero reflexo de um facto... É resultado de um exercício responsável e maduro que os cidadãos sem prática de jornalismo dificilmente conseguem realizar. Os novos jornalistas, "os jornalistas instantâneos", tem objectivos diversos de um qualquer meio de comunicação social... Por isso, encontro aqui nesta função de controller um novo papel para os media e para os jornalistas de carreira... A sociedade precisa da sua clarividência e da responsabilidade social que se esforçam por praticar...

Quem melhor pode praticar o jornalismo de cidadania são os profissionais do jornalismo, porque têm experiência, foram preparados para o efeito e porque lhes é pedido contas dos seus actos perante a opinião pública.
É claro que há lugar para o cidadão-jornalista... Mas, reforço a ideia, o jornalista deve ser cada vez mais cidadão... Mais activo e interveniente, quer através dos seus trabalhos quer através de outras actividade complementares por forma a dar um contributo único à propagação da informação....

O número de leitores, ouvintes, telespectadores ou cibernautas conscientes de que a informação que consomem, e muitas vezes reproduzem, não é a mais correcta é ínfimo. Apela-se, por isso, à responsabildiade social dos media e dos jornalistas para fazer valer o papel educativo do jornalismo na sociedade.

Daqui a algum tempo será possível retirar o melhor dos dois universos do jornalismo, agora em choque... Mas, para isso, é absolutamente necessário que os jornalistas participem activamente na educação do cidadão jornalista. Como? valorizando ou desvalorizando a informação que é enviada e não consumindo e distribuindo tudo o que chega às redacações... Parece um bom princípio... Quem sabe, mais tarde, se não será possível criar espaços paralelos onde se possam valorizar estas duas formas de fazer jornalismo...

O conceito de jornalismo parece estar em evolução... Como quase sempre é a prática que empurra a teoria para a frente.. Como tal, é importante que o mundo do jornalismo actual e tradicional saiba interpretar a mudança...
publicado por Marco Freitas às 09:52

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Sobre mim e autores
pesquisar
 
links
blogs SAPO