Comunicar pode ser fácil... Se no tempo que a vida nos permite procurarmos transmitir o essencial, desvalorizar o acessório e contribuir, num segundo que seja, para que a mensagem se assuma como tal e não como um universo de segredos...

28
Out 09

O presidente da Comissão Nacional de Protecção de Crianças e Jovens em Risco (CNPCJR) defendeu hoje que o direito à informação e o direito à privacidade dos menores e suas famílias não são incompatíveis, desde que se respeitem os limites.

 

"São dois direitos fundamentais, mas há situações em que tem de se procurar uma concordância prática.

 

Por vezes, o direito à informação tem de ceder face ao direito à identidade, imagem e a privacidade da criança", defendeu Armando Leandro, em declarações à agência Lusa.

 

O presidente da CNPCJR falava a propósito de um seminário sobre "A cultura da infância numa sociedade democrática: contributos e responsabilidades. A mais valia da informação/comunicação", que se realiza quinta-feira,

publicado por paradiselost às 15:46

ERC vai recorrer da decisão sobre o quinto canal

O organismo regulador dos media nacionais revelou que vai apelar da decisão judicial que impede o Governo de abrir um novo concurso para o quinto canal de televisão.

 

"A Entidade Reguladora para a Comunicação Social irá recorrer da decisão", disse hoje o director executivo do organismo, Nuno Pinheiro Torres.

O tribunal administrativo decidiu terça-feira dar razão à providência cautelar apresentada pela concorrente ao quinto canal Telecinco em Abril passado, o que bloqueou o concurso até à sentença do processo principal.

Em Abril, a Telecinco processou a ERC pela sua decisão de excluir a candidatura da empresa ao concurso do quinto canal generalista em sinal aberto.

A ERC excluiu também a candidatura da outra concorrente, a Zon Multimédia.

Simultaneamente, a Telecinco interpôs uma providência cautelar, com vista a suspender todas as consequências possíveis do chumbo da ERC, nomeadamente a abertura de novo concurso pelo Governo, ou a entrega do espectro remanescente aos outros canais nacionais.

A decisão do tribunal demorou meio ano a ser tomada, tendo sido ultrapassados todos os prazos legais previstos, mas agora, mesmo que queira, o Governo não pode abrir novo concurso.

O processo fica assim parado durante todo o tempo necessário à decisão do Tribunal sobre a acção principal (contestação da Telecinco ao chumbo da ERC), o que pode demorar anos.

 

publicado por paradiselost às 15:31

Cem mil pessoas de todo o Mundo foram convidadas a testar o novo programa.

 

Quatro décadas após o envio da primeira mensagem electrónica, o Google Wave, geralmente designado como o e-mail do futuro, é, segundo uma responsável do projecto, "muito mais" do que um sistema de correio electrónico.

 

Kasia Chmielinski explicou, à Lusa, que "o Google Wave é um produto, uma plataforma e um protocolo", combinando "documentos e conversação" e permitindo que "as pessoas comuniquem e trabalhem de forma colaborativa com 'richly formatted text' [formatação de texto avançada], fotografias, vídeos, mapas e muito mais".

 

"No Google Wave podemos criar uma onda (wave) e adicionar-lhe pessoas.

 

Todos os utilizadores dessa onda poderão usar o 'richly formatted text', fotografias, 'gadgets', entre outras opções provenientes de fontes da Internet.

 

Poderão ainda inserir comentários ou editar directamente a onda", esclareceu a responsável.

 

Quem aderir ao Google Wave vai poder visualizar no ecrã do computador, de forma quase instantânea, tudo o que as pessoas convidadas estão a escrever na onda.

 

Sublinhando que "o Google Wave está preparado para trocas de informação rápidas" e para trocas de conteúdos "de forma consistente",

 

Kasia Chmielinski indicou ainda que os utilizadores poderão "retroceder na onda e verificar como é que esta foi evoluindo no tempo" ou colocá-la num blog ou website "em que o seu conteúdo é actualizado automaticamente à medida que a onda vai sofrendo alterações".

 

Questionada sobre qual o objectivo de agregar tantos serviços numa única plataforma, a responsável do projecto garantiu que o Wave é o mais recente investimento de um trabalho progressivo que já deu outros frutos - caso do Gmail, Google Docs, Google Talk ou Google Voice -, e não visa abafar ou extinguir outras ferramentas digitais.

 

"A tendência dos utilizadores não é para substituir os formatos de comunicação existentes mas para os complementar. Os blogs não substituíram as páginas de Internet, tal como as mensagens instantâneas não substituíram o e-mail", assinalou Kasia Chmielinski.

 

Ainda segundo a responsável, o facto de o Google Wave disponibilizar tantos serviços não obriga ao usufruto de todos, dado ser possível "utilizar a plataforma de um modo simples (apenas para conversar, por exemplo) ou mais complexa (partilha de documentos com vídeo, mapas, exportação da onda para páginas externas, etc)".

 

O Google Wave, idealizado pelos irmãos dinamarqueses Jens e Lars Rasmussen, mentores do Google Maps, foi apresentado a um grupo de programadores na conferência Google I/O, realizada a 28 de Maio, nos Estados Unidos,  e, no início deste mês, 100 mil pessoas em todo o mundo obtiveram convites para testar a novidade.

 

"Convidámos diversos utilizadores a experimentar e a criar aplicações para a plataforma.

 

Neste momento, o Google Wave não é um produto acabado e esperamos que utilizadores e programadores possam ajudar-nos a criar uma plataforma melhor e mais desenvolvida", declarou Kasia Chmielinski.

 

A equipa está agora a trabalhar para alargar a disponibilização do Google Wave a nível global, acrescentar-lhe novas funcionalidades - ainda não disponíveis na actual versão - e incluir novos idiomas no início de 2010.

 

Só então poderão aderir livremente ao Google Wave todos os que estiverem na mesma onda.

publicado por paradiselost às 12:29

27
Out 09

 

 

 

 

 

 

 

 

O Tribunal Administrativo de Lisboa deu razão à providência cautelar interposta pela Telecinco, a propósito da decisão da Entidade Reguladora para a Comunicação Social de não aprovar as candidaturas da Telecinco e da ZON ao quinto canal de televisão

“Todos os pressupostos da providência cautelar foram acolhidos pelo tribunal”, disse Carlos Pinto Coelho, um dos responsáveis envolvidos no projecto da Telecinco, ao Negócios.

 

Em relação à decisão dada hoje a conhecer, só faz um comentário: “Finalmente, fez-se justiça”.

A Telecinco lançou ainda outro processo contra a decisão da ERC, o que faz com que até ao julgamento o Governo não possa abrir outro concurso.

publicado por paradiselost às 22:18

Relançamento de Grande Reportagem sem data prevista

Estão a ser ultimados os detalhes para o relançamento do título “Grande Reportagem”, garantiu ao Briefing a jornalista Inês Serra Lopes, que estará à frente projecto.

 

O título foi adquirido por 1 euro ao Grupo de Joaquim Oliveira há vários meses, estando previsto que saia com uma periodicidade mensal.

 

A jornalista garante que não será criada uma equipa de raiz para a redacção, vivendo o título de colaborações externas.

A atrasar o processo está, porém, indefinições sobre se a “Grande Reportagem” irá integrar o universo do grupo editorial Sojormedia, detido pelo Grupo Lena.

 

Inês Serra Lopes refere que “faria todo o sentido que o projecto da Grande Reportagem se integrasse no Sojormedia, grupo que lhe inspira grande confiança”.

 

Estando ligada ao projecto do “I” online há já 4 meses diz também não sentir “qualquer oposição a essa integração”.

 

No entanto, a jornalista afirma que estas questões, como também a data de lançamento do título, “não estão ainda definidas”. Contactada pelo Briefing, a direcção do jornal ‘I’ prefere não comentar, garantindo que não tem informações sobre o assunto.

publicado por paradiselost às 22:13

Apple com campanha contra Windows 7

A Apple desenvolveu uma campanha televisiva que crítica o novo sistema operativo da Microsoft, o Windows 7.

 

Sob o mote “Porque comprar o Windows 7, se o Mac é nº1?”, a Apple da Macintosh criou uma série de vídeos que foram lançados no mesmo dia que o novo sistema operativo da Microsoft.

A publicidade da Apple caracteriza-se há vários anos pelo recurso a este tipo de anúncios comparativos. “Porque comprar o Windows 7, se o Mac é nº1?” insere-se na campanha “Get a Mac” a decorrer desde 2006.

 

Já em 2003 a Apple tinha desenvolvido a “Switch Campaign”, na qual “pessoas reais” falavam da experiência de trocar o antigo computador por um Mac.

Por seu lado, no âmbito do lançamento do Windows 7, a Microsoft lançou uma serie de anúncios, de sete segundos cada, através dos quais visa demonstrar a facilidade operativa deste novo sistema.

O Windows 7 foi lançado no passado dia 22 de Outubro, sucedendo assim ao Windows Vista. Por sua vez, a Apple lançou recentemente os novos computadores IMacs.

publicado por paradiselost às 12:45

Ver imagem em tamanho real

 

 

 

 

O Jornalismo é coisa de loucos? é um dos temas a ser discutido de 11 a 13 de Novembro no congresso ibérico de design editorial, organizado pelo delegação espanhola da Society for News Design.

 

O encontro, a decorrer na sua sexta edição no Tagus Park, em Oeiras, reúne nomes como Benjamín Lana, director de inovação da Vocento, Diego Zúñiga, chefe de arte do El Correo (Bilbau), Kris Viesselman, directora de desenvolvimento de produtos digitais da National Geographic Maps, Mário Feliciano (FTP), Dino Santos (DSType) ou Peter Bilak (Typotheque), entre outros.

publicado por paradiselost às 10:08

O jornalista Paulo Querido, conhecido pela sua ligação aos projectos na Web, lança esta semana o jornal online “Diário 2” com um anúncio simultâneo em cinco redes sociais: o Twitter,o MySpace, o Facebook, o FriendFeed e a rede social brasileira Orkut.

 

O criador do Twitter Portugal (http://twitterportugal.com/blog/) comentou ao Briefing que o jornal deverá “começar de forma humilde e com apenas algumas secções”.

 

Com o subtítulo “A vida em tempo real”, o “Diário 2” tem como temática a vida online e as tecnologias.

 

O novo jornal não se pretende centrar apenas nas questões nacionais, mas também nas realidades dos restantes países de expressão portuguesa.

 

Composto por uma equipa luso-brasileira, o “Diário 2” quer “manter os vários sabores do Português, sem excessivas preocupações com o acordo ortográfico”. 

O projecto, lançado com capitais próprios, num “investimento relativamente curto”, pretende vir a gerar receitas com publicidade e venda de conteúdos.

 

O objectivo a médio prazo ronda os 30 mil page views diários.

publicado por paradiselost às 09:58

 

 

 

 

 

 

 

 

A Federação de Associações de Jornalistas de Espanha (FAPE) afirmou hoje que a liberdade e pluralidade de imprensa em Marrocos está "seriamente ameaçada" com o veto ao diário espanhol El Pais, que se seguiu ao do Le Monde francês.

 

"Consideramos lamentável que o Ministério da Comunicação marroquino opte pela censura para proibir um meio de comunicação social que cumpriu com a sua responsabilidade de informar", afirma em comunicado a Federação, que representa 14.500 jornalistas de 48 associações.

 

O executivo marroquino bloqueou a distribuição da edição de sábado por conter caricaturas da família real marroquina qualificadas como "desrespeitosas".

 

Os desenhos tinham sido inicialmente publicados pelo francês Le Monde, também censurado, e pelo marroquino "Akhbar al Yaoum", que foi encerrado e os seus responsáveis processados.

 

Para a Federação, estas posições "ameaçam seriamente o pluralismo informativo de Marrocos", país que "faz gala de ter uma democracia multipartidária que permite a existência de meios de comunicação social independentes".

publicado por paradiselost às 09:46

26
Out 09

nunocosta.jpg

Nuno Costa (director-executivo da ID)

 

Chama-se Identidade Digital (ID), apresenta-se como “a primeira agência de relações públicas e consultoria online” e tem como sócios Fernando Rente, Renato Póvoas e Jorge Azevedo (director de comunicação e sócios da Guess What PR, respectivamente).

 

O projecto ID arrancou em Setembro e está agora a dar os primeiros passos com Nuno Costa (ex-GCI) a ocupar a direcção executiva.

 

Sem apresentar os objectivos de facturação, Nuno Costa refere ao M&P que a ID tem “uma perspectiva positiva.

 

Somos extremamente optimistas.” Mas quais as motivações para este projecto?

 

“Constatámos que várias agências com áreas de consultoria e intervenção digital, nomeadamente as que têm maior expressão, trabalham essencialmente clientes internos.

 

Mas há uma grande necessidade no mercado ao nível das micro e pequenas agências de comunicação e de clientes que estão fora do âmbito das agências.”

 

A ID pretende ajudar as marcas a construir relações duradouras com a audiência online.

 

“Pode ser um blogue, um fórum, um Twitter ou o Facebook. Têm de ser canais de discussão abertos onde possamos criar uma relação.

 

Isso é um papel mais de consultoria e de relações públicas do que aquele que fazem tradicionalmente as agências digitais e as de meios”, considera o director-executivo.

 

Os primeiros clientes, que Nuno Costa prefere não revelar, são das áreas da saúde, do consumo, da engenharia e agências.
 

Apesar de a ID ter os mesmos sócios da agência de comunicação Guess What, Nuno Costa sustenta que são operações separada.

 

“Recebo briefings da Guess What tal como recebo de outras agências.

 

Se a ID precisa de apoio em termos de comunicação, provavelmente irá procurar a Guess What, mas estamos muito separados em termos de trabalho”, remata.

publicado por paradiselost às 15:39

Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11

24

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Sobre mim e autores
pesquisar
 
links
blogs SAPO