Comunicar pode ser fácil... Se no tempo que a vida nos permite procurarmos transmitir o essencial, desvalorizar o acessório e contribuir, num segundo que seja, para que a mensagem se assuma como tal e não como um universo de segredos...

22
Out 09

LUSOPRESSNEWS

Jornal Global, Fairplay e Economicamente Falando são os nomes de alguns dos programas que vão ser transmitidos pelo Lusopress.TV, um canal de televisão on-line em língua portuguesa que é lançado hoje em França.

 

De acordo com a direcção do Lusopress.TV, o objectivo é promover a língua portuguesa e colmatar uma falha existente em França.

"Não há nada assim num mercado tão grande. Temos jornais, revistas e rádio e faz falta criar uma televisão", disse Gomes Sá à Agência Lusa.

A funcionar no edifício da Rádio Alfa (rádio portuguesa em Paris), a Lusopress.TV conta com três jornalistas, dois operadores de câmara e um realizador, mas em breve pretende ter uma rede de correspondentes, sediados nos Estados da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

Questionado sobre a má experiência do canal de televisão CLP TV (que encerrou recentemente), Gomes Sá disse não ter receio.

"Acredito no que faço e quando faço é para ter sucesso", sublinhou Gomes Sá, do grupo Lusopress, que detém também um jornal e uma revista.

O canal on-line vai ter espaços dedicados à política, economia, sociedade, desporto, cultura e ainda um espaço para os mais novos, para que cedo comecem a ter contacto com a língua portuguesa.

Entre os programas que vão ser transmitidos constam o Culturalmente (onde o associativismo estará em destaque), Show Room (actualidades do mundo do espectáculo) e Vidas Ímpares (onde são recebidas as personalidades do meio lusófono que deixaram marcas na sociedade).

Haverá também um espaço dedicado às comunidades, onde os portugueses residentes no estrangeiro podem partilhar as vivências que têm no país de acolhimento.

Presentes no lançamento do canal on-line, estiveram os embaixadores de Portugal em França, Seixas da Costa, de Cabo Verde e de Angola.

publicado por paradiselost às 15:33

Balsemão afirma que a RTP é um monstro

O presidente da Impresa, dona da SIC, afirmou que a RTP é "um monstro" que não cumpre o serviço público e defendeu que devia haver apenas um canal digital para programas de alta qualidade e outro dedicado a todos os desportos.

 

As declarações foram feitas ontem durante a conferência "Televisão Pública e Televisão Comercial: o que as distingue, o que as deve distinguir?", organizada pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC).

O modelo, originalmente apresentado pelo quadro da BBC e autor da série "Sim, senhor ministro), Sir Antony Jay, é o que Francisco Pinto Balsemão defende dever ser o adoptado em Portugal.

 

"Defendo que o serviço público deva contemplar um canal digital sem publicidade para programas de alta qualidade e outro canal dedicado a todos os desportos e não só ao futebol", afirmou.

Segundo o responsável da SIC, a RTP não cumpre o seu papel de serviço público e faz concorrência desleal às televisões privadas.

"Teoricamente, a programação [da RTP] devia constituir um factor de diferenciação" entre as televisões pública e privadas, mas "as diferenças são mínimas", criticou.

Por isso, e porque o Estado continua a injectar capital na empresa, apesar de a RTP receber indemnização compensatória, taxa contribuição para o audiovisual e receitas publicitárias, Pinto Balsemão considera que a estação pública se transformou num "monstro".

"E o monstro dá sinais de querer continuar a crescer", disse, exemplificando que o facto de a RTPN ter sido criada para dar informação dedicada ao Norte do país, mas ter-se transformado "num canal de notícias generalistas sem acrescentar nada à informação regional".

Balsemão criticou ainda a Entidade Regulador para a Comunicação Social (ERC) por não impor sanções à RTP mesmo quando "dá conta de 98 infracções [relativas aos limites de publicidade] só em 2008".

publicado por paradiselost às 12:33

Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11

24

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Sobre mim e autores
pesquisar
 
links
blogs SAPO