Comunicar pode ser fácil... Se no tempo que a vida nos permite procurarmos transmitir o essencial, desvalorizar o acessório e contribuir, num segundo que seja, para que a mensagem se assuma como tal e não como um universo de segredos...

20
Nov 08
Ooh Lá Lá! é a revista que vai ser lançada pela nova editora Papel Pintado, já amanhã. André Neves e João Neves são os sócios da editora da nova publicação feminina/sociedade, direccionada a um público entre os 20 e os 30 anos.

O título vai ter periodicidade semanal (sai aos sábados) e será dirigido por Luís Martins, antigo director do Destak e da TV Guia.

Saúde, beleza e moda são alguns dos temas da revista, bem como o paparazzi. A imagem é o ponto forte da revista, que vai contar com um grupo de fotógrafos free-lancers, na fase inicial e, posteriormente, fotógrafos próprios.

Ana Prista (anteriormente na Nova Gente Decoração) é a chefe de redacção e Fátima Rodrigues Pereira (anteriormente na TV 7 Dias) a editora. A redacção será constituída por 15 profissionais, entre jornalistas e paginadores. André Neves assumirá, temporariamente, a direcção comercial.

Com uma média de 68 páginas, a Ooh Lá Lá! terá uma primeira tiragem de 130 mil exemplares, sendo ajustada em edições futuras, conforme a receptividade do público e terá um preço de capa de 1 euro.
publicado por Marco Freitas às 15:59

19
Nov 08
images.jpg

Quando há pouco mais de um mês iniciei as funções de co-autor do blog astrisco comunicar, a partir da cidade dos arcebispos (Braga) mais não fiz do que dar continuidade a um excelente trabalho efectuado pelo seu fundador Marco Freitas.

Certamente, e aí reconheço alguma vaidade, a minha modesta colaboração no lançamento de mais notícias para este espaço que se quer de reflexão, divulgação e discussão de temáticas relacionadas com o mundo da comunicação.

A falta de disponibilidade, por causa de outros compromissos profissionais, levou o fundador do blog a propor-me o desafio de entrar neste projecto e dinamizar ainda mais o astrisco. Aceitei de bom grado, e é com satisfação que fiquei a saber que a leitura das minhas notícias constituem pontos de referência para muitos profissionais da comunicação social e não só. Da Madeira e de Braga.

Espero continuar a merecer a confiança dos leitores. O reconhecimento de um bom trabalho e que sirva de ajuda a outros é a melhor das recompensas.

Boa leitura

Co-autor

Jorge Paraíso
publicado por Marco Freitas às 15:54

FAF.jpg

A Federação Alemã de Futebol (DFB) lançou “uma campanha de distorção e mentiras” contra o jornalista freelance Jens Weinreich, especialista em política desportiva internacional, acusou a Federação Europeia de Jornalistas (FEJ).

A 14 de Novembro, a DFB emitiu um comunicado que tentava destruir a reputação do jornalista e silenciar as suas críticas à DFB e ao Comité Olímpico Alemão. Segundo o visado, o documento continha 18 distorções ou erros factuais, motivo pelo qual Jens Weinreich está a ponderar um processo judicial por difamação contra a DFB.

O inverso já aconteceu por duas vezes, na sequência de críticas de Weinreich a Theo Zwanziger, presidente da DFB, mas em ambos os processos o tribunal não deu razão às queixas da federação.

O secretário-geral da Federação Internacional de Jornalistas (FIJ), Aidan White, acusa os dirigentes de futebol alemães de estarem a “intimidar um jornalista que denuncia assuntos de interesse público” com o único intuito de “assediar e perturbar o escrutínio devido do que fazem”, o que “sugere que têm muito a esconder”.

Também em Portugal as relações entre o mundo do futebol e o jornalismo andam tensas, com casos recentes de incitação à violência contra jornalistas por parte do presidente do Nacional e a obstrução ao direito de acesso dos jornalistas da Lusa ao Estádio da Luz, para cobrir o jogo do Benfica com o Estrela da Amadora.
publicado por Marco Freitas às 15:30

images.jpg

A jornalista Edite Esteves lança, no dia 21 de Novembro, pelas 19 horas, na FNAC do Centro Comercial Vasco da Gama, em Lisboa, o livro “Irene – É possível renascer”.

A obra, dada à estampa pela Editorial Magnólia, é uma narrativa do caso de uma mulher de 34 anos que resistiu a uma situação de septicemia e púrpura, foi amputada aos membros superiores e inferiores e conseguiu adaptar-se a uma nova vida.

Abordando o caso desde a sua origem e os incidentes que o marcaram, o trabalho conta como a figura central da narrativa conseguiu voltar a andar, a usar as próteses e a trabalhar, e como a sua família viveu os três anos desse processo.

Edite Esteves, de 63 anos, licenciada em Filologia Germânica, é editora da revista “Autores”, da Sociedade Portuguesa de Autores, tendo trabalhado no diário “A Capital” durante 33 anos, até à sua extinção, em 2005, e realizado trabalhos na RTP e nas estações holandesas NOS e VPRO.
publicado por Marco Freitas às 15:25

Caros leitores,

para aqueles que ainda não repararam nas novidades do nosso blog, eis um convite para uma breve visita ao astrisco.
Respeitando na íntegra a sua política editorial, marcada pela transparência e pelo equilíbrio temático e de conteúdo, a adesão de um novo co-autor trouxe uma dinâmica nunca antes vista no blog, como certamente a maioria dos nossos leitores já se apercebeu.

Os assuntos relacionados com a comunicação social continuam a ser o enfoque principal e a abertura para a critica séria e construtiva não foi alterada.

No sentido de manter esta nova dinâmica renovaremos oportunamente o leque de informação complementar do blog, como por exemplo as listas de blogs e de sites nele incluídas. Para além disto iremos alargar consideravelmente a mailing list, na certeza de que cada vez mais leitores rceberão a informação e os debates - quando se verificam - serão do conhecimento de todos.

Para já, informamos que temos a honra de colocar no topo da lista dos nossos blogs aquele que diz respeito ao programa da RTP-Madeira chamado Dossier de Imprensa... É nossa expectativa que este meio de comunicação seja um verdadeiro complemento ao excelente trabalho que aqueles cinco jornalistas estão a desempenhar há já algum tempo, sempre com a capacidade de manter presa a atenção dos espectadores.

Boa leitura

o autor do astrisco

Marco Freitas
publicado por Marco Freitas às 00:17

18
Nov 08
“Desafios da Comunicação Integrada” é o tema do segundo debate regional em Portugal que a European Association of Communication Directors (EACD) vai organizar em Lisboa, no dia 4 de Dezembro.

Isabel Martinho, directora de sustentabilidade e comunicação corporativa da Portugal Telecom, e Rui Miguel Coelho, director executivo da Ivity Brand, serão alguns dos convidados presentes na iniciativa.

Reforçar as redes de contactos e partilhar experiências e informações relacionadas com os principais e actuais desafios de comunicação com colegas que desenvolvem a mesma actividade a nível nacional e internacional é um dos objectivos do encontro.

Com o patrocínio da Portugal Telecom, o debate vai realizar-se no Fórum Telecom, às 17h30.
publicado por Marco Freitas às 17:37

921222_svarovsky_style.jpg

Já repararam quantos problemas surgem porque não se soube comunicar?
Do pequeno universo familiar ao imenso mundo público, passando pelo território profissional, existem milhões e milhões de caos em que uma boa comunicação teria evitado o pior… E porquê?

Porque comunicar efectivamente pressupõe um processo de troca de mensagens dinâmico em que é tão importante saber verbalizar como estar disponível para ouvir… Tenho dúvidas, por isso, que se possa afirmar que há comunicação (neste caso unilateral) quando as mensagens circulam num só sentido. Melhor, aceitando esta possibilidade temos de considerar que aí estamos no mundo dos monólogos…
Um bom processo comunicativo depende sobremaneira do ambiente que o envolve e das qualidades dos intervenientes.

Uma das parcelas da nossa sociedade onde verificamos uma absoluta necessidade de aprender os benefícios de uma comunicação eficaz e adequada, em conteúdo e medida, é no mundo da política, em suma, porque as qualidades dos intervenientes provocam os mais trágicos e hilariantes erros.

Alguns casos recentes e publicamente conhecidos confirmam esta presunção. Por exemplo, com a eleição de OBAMA vi e ouvi muitos comentários afirmando que agora a expectativa é de que os EUA comecem a compreender o mundo e que a sua política seja mais receptiva… Ou seja, uma posição oposta ao isolamento a que Bush vetou o país, à politica de estabelecimento unilateral das lógicas internacionais que, sem a comunicação com o mundo, estava a prejudicar a percepção externa em relação a esta potencia mundial…

À escala nacional portuguesa, o embate entre os sindicatos de professores e o Ministério da Educação é mais um exemplo de que a comunicação não resultou, ou mais correctamente, não houve boa comunicação… Pior, alguém quebrou a cadeia de contacto estabelecido e que começava a dar frutos… As acusações mútuas têm sido abundantes mas a mais reconhecida identifica a governação como prepotente…

No espaço regional, na Madeira, o caso PND versus ALM (PSD-M) é outro exemplo como os ruídos podem ser fortes entraves à eficácia da comunicação de uma mensagem ou ideia… O clima efervescente e de quezila que tem sido muitas vezes alimentado no Parlamento da Madeira é resultado de muitas incompreensões, de diálogos inúteis e de sucesso duvidoso para a praxis parlamentar, tinha de culminar no aparecimento de uma figura hiperbólica, metafórica, de um deputado que entende que a sua mensagem deve roçar o ridículo para ser ouvida e compreendida.
Isto não é mais do que a total perversão do processo comunicativo: com ruído é possível comunicar. Mal estamos quando isto é verdade… Mas, quem grita mais alto nem sempre tem razão…

Uma nota final para dizer que tais comportamentos têm sintomas epidémicos… Pegam-se… Numa altura em que o quadro económico e social exige, na diferença, unidade e parcerias, é claramente inaceitável este tipo de comportamento anti-social… Até porque a comunicação com ruído extremo cansa depressa…

MPF
publicado por Marco Freitas às 11:39

17
Nov 08
A Federação de Associações de Jornalistas de Espanha (FAPE) criou um observatório para analisar a relação entre o aumento de despedimentos nos média e a crise, uma vez que no último mês foram extintos cerca de um milhar de postos de trabalho no sector.

O observatório contará com a presença do secretário-geral da FAPE, Javier Arenas, e de um representante de cada uma das 48 associações de jornalistas de Espanha, que formarão uma “rede de vigilância” para estudar cada caso e denunciar todas as práticas que considerem “injustificadas ou abusivas”, explicou a presidente da FAPE, Magis Iglesias.

Defendendo a necessidade de os jornalistas do país tomarem “medidas para afrontar de forma coordenada esta preocupante situação”, Magis Iglesias informou que pretende iniciar uma ronda de conversações com sindicatos e empresas “para reclamar compromissos de todos os agentes implicados” e, deste modo, “exigir a atenção de todos os poderes públicos”, ante o perigo iminente que sofre este sector “estratégico”.

Recorde-se que no final da passada semana, o Grupo Zeta, editor de publicações como o “El Periódico de Catalunya”, a revista “Interviú” e o desportivo “Sport”, anunciou que pretende eliminar 533 postos de trabalho – quase um quarto de toda a equipa – para “assegurar de forma sólida a continuidade do projecto e fazer face à profunda crise económica que está a afectar os média e o seu futuro”.

Também na passada semana foi anunciado o encerramento da rede de televisões locais Localia, pertencente a uma filial do grupo Prisa, afectando directamente 250 a 300 pessoas.

Fonte: SJ
publicado por Marco Freitas às 18:08

images.jpg

Um repórter de imagem ao serviço da RTP foi agredido hoje, 17 de Novembro, junto do DIAP de Lisboa. Em comunicado, o Sindicato dos Jornalistas (SJ) condena a agressão e insta as autoridades a garantir a segurança dos profissionais dos média.
É o seguinte o texto, na íntegra, do comunicado do SJ:

Agressões a jornalistas são intoleráveis

1. O Sindicato dos Jornalistas tomou conhecimento de que um repórter de imagem ao serviço da RTP foi agredido hoje, junto do DIAP de Lisboa, quando trabalhava numa emissão em directo relacionada com a detenção de presumíveis elementos de uma claque de futebol.

2. O Sindicato condena veementemente a intolerável agressão verificada, a qual não pode ter a menor aceitação num estado de direito democrático e muito menos para impedir jornalistas de realizarem a sua missão profissional.

3. O SJ manifesta a sua solidariedade para com o jornalista agredido e exorta as autoridades a apurar todas as responsabilidades e a criar condições de ordem pública a fim de preservar a integridade dos profissionais em serviço nos locais públicos.

Lisboa, 17 de Novembro de 2008
publicado por Marco Freitas às 18:05

O futuro das rádios passa "inevitavelmente" pela Internet, um meio de evolução tecnológica que já foi adoptado por 80 por cento das rádios portuguesas, disse este domingo o presidente da Associação Portuguesa de Radiodifusão.

José Faustino referiu que "o mundo está em completa transformação e as rádios, independentemente da crise e da situação adversa que vivem, têm que ter capacidade para se adaptar à Internet e à digitalização das emissões".

Estas são, segundo o responsável, as principais conclusões que se podem retirar do Congresso Nacional de Radiodifusão, que decorreu entre sexta-feira e domingo, em Vila Real.

Apesar de considerar que "ainda há muita coisa por definir relativamente ao futuro das rádios", José Faustino salientou que "a Internet é o futuro, mas é também já o presente".

"Mais de 80 por cento das rádios portuguesas têm uma presença muito forte na Internet", sustentou.

Em Portugal existem 243 estações de rádio.

Paula Cordeiro, professora auxiliar do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas e investigadora do Centro de Administração de Políticas Públicas, considerou que este é um "momento de transição".

Defendeu uma aposta da rádio na Internet, devendo, na sua opinião, as rádios com emissões FM envolverem-se na reconversão dos recursos humanos.

Para além da formação contínua, a investigadora diz que as rádios devem apostar na rentabilização da produção que é elaborada em FM para on-line.

Carlos Marques, director comercial da Media Capital Rádios, defendeu que os recursos humanos deverão estar readaptados às novas tecnologias, avisando que a rádio on-line é um bom veículo para captar meios financeiros.

O jornalista da TSF João Paulo Meneses salientou que, dentro de 10 anos, a rádio "vai deixar de ser o que é".

Já Álvaro Sousa, director da Estação Orbital, considerou que a evolução no acesso dos conteúdos de rádio vai levar "certamente ao fim dos emissores actuais de FM".

Um dos exemplos de uma rádio que já transmite para todo o mundo através da Internet é a Universidade FM, localizada em Vila Real.

O director da Universidade FM, Luís Mendonça, referiu que a sua rádio marca presença na Internet desde 1999 e que o feed-back dos ouvintes chega dos mais diversos países, principalmente onde há mais emigrantes, como Suiça ou Luxemburgo, e "surpreendentemente" de brasileiros que acompanham as transmissões em directo dos jogos de futsal.

José Faustino afirmou ainda que, no congresso, "ficou definitivamente morto o sistema DAB".

"Ele não se impunha e ficou claro que ele não se desenvolve em Portugal. Iremos talvez para uma digitalização do FM. É mais um desafio que as rádios têm pela frente, o de digitalizar todo o sistema áudio que têm dentro da rádio e os próprios emissores", sublinhou.

Luís Del Amo Ruiz, subdirector técnico da Cadena SER, referiu que, em Espanha, o sistema DAB, "apesar das expectativas criadas", não teve grande aceitação por causa da qualidade do som.

Disse ainda que o DRM+ está a ser desenvolvido e poderá ser normalizado em 2009, considerando que se trata de um "sistema livre, que facilita a digitalização da rádio a nível local, regional e nacional".

Carlos Portugal explicou que a fraca adesão ao DAB se deve à "dificuldade dos fabricantes em colocar no mercado receptores a custos aceitáveis".

Fonte: JN
publicado por Marco Freitas às 09:29

Novembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
14
15

16
22

23
25
29



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Sobre mim e autores
pesquisar
 
links
blogs SAPO