Comunicar pode ser fácil... Se no tempo que a vida nos permite procurarmos transmitir o essencial, desvalorizar o acessório e contribuir, num segundo que seja, para que a mensagem se assuma como tal e não como um universo de segredos...

08
Mai 08
Um relógio para medir a democracia

Se tivesse sido eleitor do PND a pergunta que faria nesta altura do campeonato legislativo é se os deputados eleitos estão a empregar convenientemente o dinheiro dos contribuintes e a trabalhar para o bem comum? Afinal de contas, quais foram as iniciativas que tomaram para defender a Madeira?
A democracia tem destas coisas. O produto de uma campanha mediática, feita à medida de uma comunicação social rendida ao que é diferente e à ditadura das audiências, só podia resultar no que vimos recentemente no parlamento.

O Parlamento Regional viveu de facto mais um dos seus momentos mirabolantes quando o actual deputado do PND se manifestou contra o tempo de intervenção atribuído aos partidos da posição pela maioria ao pendurar um relógio ao pescoço.

A escolha do instrumento para uma manifestação de desagrado na casa da democracia regional, num local que deve dar o exemplo para poder ser respeitado, pode não ter sido a mais feliz. Mas, se compararmos este tipo de manifestação ao baixo nível em que muitas vezes decorre as argumentações entre parlamentares de partidos diferentes – para não falar das potenciais cenas de agressão física – temos de convir que há alguma dificuldade em rejeitar a intervenção circense do PND.

A democracia tem destas coisas. Um deputado também pode escolher uma forma diferente de se manifestar, na mesma medida que deve saber aceitar a reacção de quem discorda e as regras que o penalizam por caber dentro de uma instituição que deve ser respeitada, mesmo que não as haja escritas… O bom-senso deveria imperar… Mas a sua latitude é tanta que muito provavelmente a ALR deveria redigir um código de conduta…

Contudo, mais do que a manifestação do PND achei que a resposta irada dos diversos partidos foi desproporcional já que em ocasiões mais gravosas não se sentiu tamanha indignação.

Legitimidade? Claro que o PND tem legitimidade para actuar daquela forma no parlamento porque o povo que elegeu este partido o fez precisamente com base numa campanha teatral e satírica, visando o gozo das instituições democráticas.
Foi fácil criticar Jardim quando chamou à ALR “casa de loucos” mas este tipo de atitudes, de um lado e de outro, vem confirmar a sua opinião.

Em defesa do bom-nome dos eleitores sérios da Madeira, seria bom que os senhores deputados dessem um bom exemplo de maturidade…

*astrisco*
publicado por Marco Freitas às 10:19

Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Sobre mim e autores
pesquisar
 
links
blogs SAPO