Comunicar pode ser fácil... Se no tempo que a vida nos permite procurarmos transmitir o essencial, desvalorizar o acessório e contribuir, num segundo que seja, para que a mensagem se assuma como tal e não como um universo de segredos...

20
Nov 08
FG5VCAQXUWIICAFUNCQMCA5X7SKBCA9NI77LCAHJFV2QCAKJR94ZCA94650XCALPMXCHCAZ7SUDDCAXQ1816CAO97IS3CAS8H5OMCADDB0VLCADN3LMYCAFD85D4CA6DT8HICA9RDYTICAY6E4E3.jpg

O Semanário Económico chega amanhã às bancas pela última vez no formato a que os leitores se habituaram nos últimos vinte anos, passando agora a ser publicado aos sábados, disse hoje à Lusa do director da publicação.

«É uma refundação que tenta valorizar a marca mais antiga dos jornais de economia em Portugal», que agora passa a ser impresso em papel cor de salmão, adiantou António Costa.

O «novo» Semanário Económico «deixa de ser um instrumento de trabalho puro», mas os leitores da publicação não vão ficar «órfãos de informação à sexta-feira», uma vez que contarão com o Diário Económico, acrescentou o director do jornal.

«Muito do que o Semanário faz à sexta-feira passará a ser feito no Diário, que ganha assim uma série de secções e produtos», explicou.

Após a reformulação, o Semanário «não será apenas um diário de economia ao sábado».

«Vai ser um jornal coerente com o Diário Económico, terá notícias de sexta-feira mas será um jornal muito virado para a análise e reflexão, sobre o que foi actualidade da semana que passou e o que será a semana seguinte», referiu António Costa.

A publicação dará «uma visão económica do país e do mundo», tornando-se um «jornal de economia com cadernos generalistas», que «não vai concorrer com os semanários Expresso e Sol».

«Vamos ocupar um espaço no mercado que não está ocupado», afirmou.

O jornal terá dois cadernos, um principal, «muito próximo do Diário Económico», e o 'Outlook', «de economia e mundo, muito virado para as tendências e com um 'best of' de cultura e lazer».

O suplemento Fora de Série passa a ser distribuído também aos sábados com o Semanário Económico, mas agora quinzenalmente.

Actualmente o Semanário Económico vende cerca de nove mil exemplares, sendo que cinco mil são vendidos em banca e quatro mil por assinatura.

No final de Setembro os jornalistas do Semanário Económico passaram para o mesmo espaço físico do Diário, com uma direcção e estrutura de edição únicas, que foi definido por António Costa como «o primeiro passo para pôr fim à concorrência entre os dois títulos».

António Costa assumiu as funções de director dos títulos da Económica em Agosto deste ano.
publicado por Marco Freitas às 16:19

Novembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
14
15

16
22

23
25
29



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sobre mim e autores
pesquisar
 
links
blogs SAPO