Comunicar pode ser fácil... Se no tempo que a vida nos permite procurarmos transmitir o essencial, desvalorizar o acessório e contribuir, num segundo que seja, para que a mensagem se assuma como tal e não como um universo de segredos...

03
Nov 11
Artigo publicado no Diário de Notícias da Madeira, de 2 de Novembro de 2011

Tem faltado comunicação e informação à ‘Crise’?

 

Sim e não. A formação e a prática profissional ensinaram-me que o excesso de palavras e informação nem sempre correspondem a um melhor esclarecimento da realidade. Muitas vezes, tais excessos traduzem ausência de acção. Por isso, se me pedissem para definir numa palavra a gestão da comunicação sobre a ‘Crise’, cá dentro e lá fora, diria que tem sido desastrosa. O que penso é isto:

 

a) Os inúmeros episódios da ‘Crise’ têm sido profusamente explorados nas notícias, nos comentários, nos debates e nas conferências, provocando (1º) a sensação da sua democratização e das respectivas soluções, criando um efeito partilha entre decisores e opinião pública, e (2º) a ideia de que tudo tem sido dito sobre a sua gestão, na essência, para evitar o caos.

 

b) A engenharia financeira que tem prevalecido na análise e na comunicação dos decisores, designadamente no plano das soluções, tem valorizado a dimensão aritmética sobre a social e subjectiva, quiçá, para dirimir o imprevisto que a vertente humana acrescenta ao actual estado de coisas.

 

c) A alimentação deste circo mediático em volta da ‘Crise’ pode trazer consequências desastrosas, porque um mundo sem percepção da realidade e entregue a um jogo de interesses, aparentemente controlado mas incapaz de reais entendimentos, é um mundo na linha do atrito.

 

Assim, as convulsões sociais e os movimentos em gestação são a prova cabal de que os nossos líderes muito provavelmente já perderam a batalha da comunicação. E, nesse sentido, sem o apoio voluntário da população, o desastre estará ao virar da esquina. Desconfio que é preciso muito mais do que memorandos ou reuniões entre Nações para convencer as pessoas a participarem no esforço de recuperação das economias. Até porque, o medo dos planos de austeridade também tem prazo limite.

 

Marco P. Freitas

Consultor de Comunicação

publicado por Marco Freitas às 16:54

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Novembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Sobre mim e autores
pesquisar
 
links
blogs SAPO