Comunicar pode ser fácil... Se no tempo que a vida nos permite procurarmos transmitir o essencial, desvalorizar o acessório e contribuir, num segundo que seja, para que a mensagem se assuma como tal e não como um universo de segredos...

18
Set 10

Luís Gonçalves da Silva, vogal da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), demitiu-se ontem por considerar que o organismo não é isento nos processos que envolvem o poder político e pede "reflexão sobre o modelo de regulação".

 

Contactado pelo CM, o presidente do organismo, Azeredo Lopes, disse desconhecer a decisão do vogal. "Está a dar-me uma novidade. É uma surpresa. Estou no Porto. Mas não vou comentar. Seria uma profunda má educação para com o o dr. Gonçalves fazê-lo", remata.

 

No documento a que o CM teve acesso, o conselheiro considera que nos processos "em que estava em causa o poder político ocorreram verdadeiras entorses às mais elementares normas procedimentais, de que o caso TVI é apenas o mais recente exemplo, o que condicionou os resultados das investigações".

 

Diz ainda o vogal: "Há muito que venho reflectindo e alertando para as situações existentes, razão pela qual a minha renúncia é uma mera consequência das posições que assumi ao longo do mandato."

 

Na carta, endereçada ao presidente da Assembleia da República, Jaime Gama, Gonçalves da Silva sublinha que "a ERC foi e é, em muitas situações, um obstáculo à liberdade de imprensa", acrescentando que a "actual situação da ERC exibe, de forma clara e patente, as fragilidades e as ineficiências do modelo de regulação da comunicação social".

 

A Assembleia da República terá agora de nomear um substituto do conselheiro, que sairá a 30 de Setembro.

 

 

Luís Gonçalves da Silva, 41 anos, é professor na Faculdade de Direito de Lisboa, foi adjunto do secretário de Estado do Trabalho (Governo de Durão Barroso) e consultor jurídico do secretário de Estado Adjunto e do Trabalho (Governo de Santana Lopes), tendo participado, entre outras, na elaboração do Código do Trabalho.

publicado por paradiselost às 19:31
editado por Marco Freitas em 25/01/2013 às 16:16

ATENÇÃO: Ao contrário do que, de uma forma desonesta e hipócrita, se tem afirmado, este senhor demitiu-se pelas mais variadas razões, menos pela deliberação sobre o crime económico promovido pelo Governo Regional, através do Jornal da Madeira. Nesse caso, votou ao lado dos outros, porque o parecer foi unânime! E nem poderia ser de outra forma, sob pena de ser colocada em causa a sanidade mental dos membros da ERC , porque os factos não têm contestação possível.
Jorge Sousa a 23 de Setembro de 2010 às 11:32

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
14
15
17

19
20
22
23
24
25

26
27
28


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Sobre mim e autores
pesquisar
 
links
blogs SAPO