Comunicar pode ser fácil... Se no tempo que a vida nos permite procurarmos transmitir o essencial, desvalorizar o acessório e contribuir, num segundo que seja, para que a mensagem se assuma como tal e não como um universo de segredos...

26
Nov 08
S299CAE6EN1HCA0MPVS1CAH3XYB9CA4LCKSDCAMHTDXOCATJ2LECCAS3QDV6CAJQAHJUCAFA5LJYCAPZO0WXCA02SSNTCAH1DWWBCA17M2M4CAPL22UECAT8DTMXCAWA3BDRCA67LF6VCA86PLL4.jpg

Aproveitando o facto de o parlamento italiano discutir, a 26 de Novembro, o código do trabalho e a precariedade no jornalismo, a Federação Europeia de Jornalistas (FEJ) relembrou a necessidade de abordar nesse âmbito o caso da estação televisiva La7, que anunciou em Setembro que pretendia despedir 25 dos 88 jornalistas que emprega.

A organização considera que a concretizar-se a acção de despedimento na empresa detida pela Telecom Italia Media “o pluralismo e a qualidade dos média em Itália ficará seriamente ameaçada”, dado que a La7 é a terceira maior rede do país e é vista como o canal mais imparcial e independente num cenário audiovisual altamente politizado.

À frente da La7 estão o grupo Mediaset, da família Berlusconi, e a RAI, emissora pública que actualmente é também controlada, ainda que indirectamente, pelo presidente do conselho, Silvio Berlusconi.

Além da questão da La7, a FEJ e a Federação Nacional da Imprensa Italiana (FNSI) instaram o parlamento transalpino a abordar também a necessidade urgente de um novo acordo colectivo para a classe
publicado por Marco Freitas às 17:57

Novembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
14
15

16
22

23
25
29



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sobre mim e autores
pesquisar
 
links
blogs SAPO