Comunicar pode ser fácil... Se no tempo que a vida nos permite procurarmos transmitir o essencial, desvalorizar o acessório e contribuir, num segundo que seja, para que a mensagem se assuma como tal e não como um universo de segredos...

14
Out 09

Serge Halimi, director de “Le Monde diplomatique”, afirma, no editorial da edição de Outubro, que o jornal que dirige é «pouco recomendável».

 

É pouco recomendável para os banqueiros, naturalmente, dos quais não virá um sinal de financiamento.

 

Halimi dirige-se aos leitores de “Le Monde diplomatique” e enumera, com crueza e orgulho, as características do jornal, ao mesmo tempo razão da sua força e da sua fraqueza.

 

Por essas palavras se vê que o seu director é, também ele, pouco recomendável.

 

Para os banqueiros, entenda-se. E este director, que é eleito, lembra que os jornalistas de “Le Monde diplomatique” não são nunca convidados para os «jantares do século» nem fazem jeitos aos lóbis farmacêuticos, o que os torna, está bem de ver, «pouco recomendáveis» percebe-se para quem.

 

O editorial de Serge Halimi devia ser lido em todos os cursos de todas as escolas de jornalismo e explicado intensivamente a alguns directores de jornais. E aos jornalistas, claro. Especialmente aos muito recomendáveis. 

publicado por paradiselost às 16:48

Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11

24

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sobre mim e autores
pesquisar
 
links
blogs SAPO