Comunicar pode ser fácil... Se no tempo que a vida nos permite procurarmos transmitir o essencial, desvalorizar o acessório e contribuir, num segundo que seja, para que a mensagem se assuma como tal e não como um universo de segredos...

25
Mar 13

 

 

O primeiro impulso é carregar e dizer que SIM, que se concorda com esta petição, ou seja, que o Governo Regional não devia ter o Jornal da Madeira.  

Porém, longe de todos os impulsos que a guerrilha que o JM tem acicatado entre o Governo Regional e o Diário de Notícias da Madeira - e nem sempre foi assim ou nem sempre é assim - há lapsos de base na concepção e informação da Petição... Aguardaremos com tranquilidade para ver o seu resultado e tudo aquilo que se há-de gerar à sua volta... 

 

Acreditando que praticamente todos os madeirenses aceitam e concordam que o Jornal da Madeira é uma caso que deve ser tratado de outra forma pelo Governo da Região, deixando de custar ao erário público aquilo que custa, também sei que a maioria dos madeirenses desconhe o que tem esteve e está na génese de uma polémica com prazos, datas e eventos bem concretos. 

 

As matérias de fundo têm sido ignoradas, de propósito ou por falta de propósito. E é nisso que tenho tentado concentrar os meus esforços de análise, as minhas opiniões e os meus alertas. Bem sei que não colhem o interesse da maior parte dos intervenientes porque procuram a solução de meio termo, a pacificação do sector na Região e o fim dos radicalismos, independentemente de quem esteja à cabeça destas duas frentes de batalha pública. Enfim, por me recusar a ser parte de um dos lados... 

 

Como disse, ainda é cedo para analisar este nova fase da polémica DNM/JM. 

 

A legitimidade do acto, livre e potencialmente espontâneo, de se criar esta petição, convida-me também a recordar que o Jornal da Madeira não é do Governo Regional mas da Região, a interrogar-me sobre a liberdade ou falta dela quando se pretende coertar a nececessidade dos Governos poderem comunicar com a população eleitora, a sublinhar que os jornais privados também têm acesso a apoios públicos, com dinheiro dos contribuintes entre outro tipo de publicidade institucional, a concordar com a transparência, o equilibrio e o respeito pelos autores públicos e privados na comunicação social, aspectos que não têm prevalecido em toda esta polémica e, por agora, a dizer que esta petição é mais um dado interessante para o período eleitoral que há-de anteceder as próximas eleições regionais, já que todos os partidos do arco do poder terão de ter uma posição inequívoca sobre este meio de comunicação social, nomeadamente aqueles a quem já cheira o poder...

 

 O link para a petição é este: 

 

http://www.peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=P2013N38131

 

publicado por Marco Freitas às 14:34

Este é um tema a que voltarei com vagar...Até porque foi agora lançada uma petição para acabar com a presença do Governo Regional no JM... Interessante, pois foi lançado por um grupo de cicadãos aparentemente livres, numa ilha dita sem liberdade, sem gente capaz de pensar si... Estou, neste momento, a concluir a análise ao mundo da comunicação social em 2012... 

Por enquanto, fica só a prova cabal do que está subjacente ao título: por um lado uns e por outro outros... No meio, com mais ou menos interesse, aqueles que por natureza deveriam ser isentos: a Comunicação social... Uma questão de causas? Até pode ser... Mas há muito que muitos já não acreditam que seja "a causa" o motivo de tanta guerrilha... 

 

Voltarei ao tema, com o rigor que a situação merece e que muitos, lamentavelmente, já deixaram lá para trás... 

 

Por agora, ficam as imagens.

 

 

publicado por Marco Freitas às 12:07

19
Mar 13

Sem mais nada a dizer por enquanto: Há que assinalar que este novo canal tem como background um grupo de media com larga experiência e amplo leque de públicos-alvo... Vamos acompanhar...

 

publicado por Marco Freitas às 12:20

07
Mar 13

Ontem (dia 6 de Março de 2013), na comunicação social e nas redes sociais (à escala) um dos temas polémicos debatidos foi o do quid pro quo entre um membro da Presidência do Governo Regional e o DN Madeira. 

 

Neste post coloco aquilo que foi dito pelas partes para o leitor tomar nota sobre o "caso". 

 

Olhando para este "não-assunto" mediático  - é assim que o caracterizo apesar de óbvias discordâncias de muitos especialistas da comunicação social -, a primeira e principal pergunta que tenho em mente é se esta "birra" era merecedora de espaço público, designadamente numa época em que a panóplia de assuntos com enfoque público é grande e preocupante? Será que o enfoque em "fait-divers" desta natureza é um verdadeiro contributo para o debate do futuro da Madeira, incluindo neste as questões da comunicação social?

 

Onde vamos parar...Madeirenses?!!... 

 

 

 

 

http://www.dnoticias.pt/actualidade/politica/373670-andre-freitas-justifica-falta-de-pachorra

 

 

 

 

A resposta também foi dada no Jornal da Madeira...

 

http://online.jornaldamadeira.pt/artigos/presidência-do-governo-regional-denuncia-“mais-mentiras-do-diário-blandy”

 

 

publicado por Marco Freitas às 15:17

Março 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
20
21
22
23

24
26
27
28
29
30

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Contador de Visitas
Sobre mim e autores
pesquisar
 
links
blogs SAPO