Comunicar pode ser fácil... Se no tempo que a vida nos permite procurarmos transmitir o essencial, desvalorizar o acessório e contribuir, num segundo que seja, para que a mensagem se assuma como tal e não como um universo de segredos...

24
Mar 11

 

RTP lucra pela primeira vez em quase 20 anos

 

Segundo notícias vindas a público, pela primeira vez em 20 anos, a RTP apresentou lucros... Uma boa notícia, sem dúvida... Será sinal de que as subvenções atribuídas ao canal estão a ser aproveitadas... Simultaneamente, será também uma boa notícia para quem defende a sua continuidade como canal público ou para quem alega a necessária privatização... Eu digo: afinal, os meios de comunicação social públicos podem ser rentáveis, sem ir ao bolso do portugueses, e assim assegurando maiores níveis de independência em relação ao poder político... É preciso é permitir a sua boa gestão. 

 

Ler notícia da Agência Financeira

 

publicado por Marco Freitas às 11:59

21
Mar 11

Veja e leia o último estudo do Observatório. Este último relatório do OberCom pretende fornecer pistas sobre o futuro da televisão, particularmente num quadro mediático marcado pela volatibilidade que se reflecte numa rápida e constante mudança do sector.

 

 
 

 

publicado por Marco Freitas às 10:14

02
Mar 11

 

 

 

Portugal vive um momento particularmente estranho: sob a capa de uma aparente estabilidade institucional convive uma instabilidade real, alicerçada em dados económicos difíceis e num quadro político confuso. Nos media tudo é explorado e analisado à exaustão por especialistas, adicionando mais incógnitas ao já debilitado espírito nacional.

Em tempos de conjuntura difícil, as boas notícias devem ser incentivadas, para gerar confiança nos mercados e nos consumidores. Razão pela qual o tema das exportações nacionais deve estar na agenda dos meios de comunicação. Mas, os portugueses merecem mais do que arraiais propagandísticos, como os que assistimos, por impulso partidário, em relação aos indicadores das exportações e à redução da despesa pública de Janeiro.

Apoiemos a aposta na exportação, mas cientes da saúde da nossa economia. E os números são estes: 30,5% é a medida das vendas ao exterior, menos de 1/3 do PIB; as exportações cresceram 15,7% em 2010 só porque 2009 foi um ano muito mau; 37,7% é a medida das importações; 70 empresas concentram 50% de todas as vendas; o número de exportadoras caíram de 24 mil para cerca de 18 mil; o PIB recuou no fim de 2010 para níveis de 2006; Portugal continua a perder posições nos rankings da competitividade e o desemprego nunca foi tão alto. Muitos especialistas pedem o fim dos “custos de contexto” como parte da solução para a economia nacional. Eu começaria por reformatar o enclave partidário nacional através de um processo eleitoral, criando uma nova oportunidade de governação e um futuro para o País assente numa abordagem transparente da realidade que afecta a maioria dos portugueses. Em suma, reconstruir o castelo...

 

Marco P. Freitas

Consultor de Comunicação 

Artigo publicado na edição de 2 de Março de 2011 no Diário de Notícias da Madeira           

publicado por Marco Freitas às 23:05

Março 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
22
23
25
26

27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Contador de Visitas
Sobre mim e autores
pesquisar
 
links
blogs SAPO