Comunicar pode ser fácil... Se no tempo que a vida nos permite procurarmos transmitir o essencial, desvalorizar o acessório e contribuir, num segundo que seja, para que a mensagem se assuma como tal e não como um universo de segredos...

30
Jun 09

 

 

O "Hot TV", o primeiro canal português de conteúdos exclusivamente pornográficos, é hoje à noite apresentado num bar de Lisboa. Mas a autorização para emitir só deverá ser dada amanhã.

A divulgação deste canal, a ser exibido na grelha de programação da Zon, surge com algumas horas de antecedência em relação à necessária autorização a conceder pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), a qual, na passada semana, reprovou o projecto devido a um problema jurídico que, garantem os responsáveis, já está solucionado.

"A situação já está ultrapassada e o Hot TV será apresentado amanhã [hoje], pelas 22h", disse ontem ao PÚBLICO o director da Hot Gold, a empresa responsável pela produção deste novo canal televisivo.

 

Sem querer especificar quais os problemas que impediram a ERC de aprovar o novo canal na passada semana, Carlos Ferreira esclareceu, no entanto, que o que estava em causa era, apenas, "uma situação jurídica já ultrapassada".

O conselho da ERC que deverá conceder a licença de emissão do Hot TV reúne amanhã, algumas horas depois da festa de apresentação do canal e no mesmo dia em que deverá ser difundida a primeira emissão.

 

Carlos Ferreira diz que esta situação - de um canal ser apresentado ainda antes de estar devidamente licenciado - nem sequer é inédita no país e, tão-pouco, impeditiva de o produto poder avançar.

O processo de licenciamento iniciou-se em Abril deste ano e deveria ter sido concluído na passada semana. Questões jurídicas que estarão relacionadas com as acções da empresa terão estado na origem da não aprovação por parte da ERC.

 

Conteúdos nacionais

O Hot TV é um canal pornográfico que será exibido diariamente, em 24 horas consecutivas, através da Zon, e que vem substituir o Vénus, um outro canal pornográfico cujo contrato expira agora.

 

Trata-se, portanto, de um canal que para ser visto tem de ser pago.

O responsável da Hot Gold esclareceu que o novo canal, sendo de total produção nacional, não tem, no entanto, conteúdos exclusivamente portugueses.

 

"Há, de facto, programação portuguesa, mas a maior parte dos conteúdos, como é habitual neste tipo de canais, é estrangeira", adiantou Carlos Ferreira.

"A Hot Gold tinha previsto apresentar o Hot TV apenas no final do ano.

 

No entanto, com o final do contrato entre o Vénus e a Zon, surgiu a oportunidade de avançar agora", explicou ainda Carlos Ferreira que, em declarações recentes ao "Expresso", já havia revelado que a cerimónia de apresentação do canal não poderia ser adiada, mesmo carecendo ainda da aprovação da ERC, uma vez que já estavam convidadas diversas personalidades internacionais.

publicado por paradiselost às 09:43

29
Jun 09

 

Todos os diários de informação geral diminuíram as suas vendas nos 4 primeiros meses deste ano relativamente ao mesmo período do ano passado, com os meses de Março e Abril a reforçar a tendência, segundo dados hoje divulgados.

 

A maior queda foi sentida pelo Diário de Notícias que nos meses de Janeiro a Abril deste ano vendeu, em média, menos 4.700 exemplares por dia do que nos mesmos meses do ano passado, de acordo com o relatório da Associação Portuguesa para o Controlo de Tiragens e Circulação (APCT).

 

Em termos relativos, a queda foi de 10,4 por cento face ao período de Janeiro a Abril do ano passado.

 

A descida registou-se sobretudo em Março e Abril deste ano, já que o jornal detido pela Controlinveste tinha, no primeiro mês de 2009, uma circulação paga (vendas em banca+assinaturas) de 48.711 exemplares, tendo caído para os 30.246 em Abril.

 

A tendência foi seguida por todos os diários generalistas, tendo o concorrente do DN, o Público, apresentado uma descida nas vendas de 6,7 por cento.

 

Dos 41.588 exemplares que o diário da Sonae vendia, em média, nos primeiros meses do ano passado, passou para os 38.773, perdendo, portanto, mais de 2.800 unidades por dia.

 

Embora o Público tenha sentido também uma queda relativamente a Fevereiro - mês em que vendeu em média 48.565 exemplares diários - não registou grande diferença face ao primeiro mês do ano, quando rondava os 36 mil exemplares.

 

Já no caso do Jornal de Notícias, os meses de Março e Abril foram muito diferentes de Janeiro e Fevereiro.

 

Este título, também da Controlinveste, vendia em Janeiro uma média de 104.267 exemplares, tendo caído para menos de 93 mil em Abril.

 

No entanto, e em termos anuais, o JN foi o título que sentiu menos queda (apenas 0,2 por cento), passando para os 99.313 exemplares por dia.

 

Na liderança entre os diários, manteve-se o Correio da Manhã, apesar de a sua circulação paga ter descido 2,7 por cento, para uma média de 114.525 exemplares.

 

Os dois últimos meses analisados no relatório da APCT foram também os piores para o diário da Cofina, já que em Janeiro vendia mais de 117 mil unidades e em Março registava cerca de 111 mil.

 

Por último, as vendas do 24horas, também da Controlinveste, caíram 8,1 por cento, passando para as 32.914 unidades, sendo que neste caso, as quedas foram sentidas sobretudo em Abril.

 

Nos três primeiros meses do ano, o jornal vendeu uma média de 33 mil exemplares, mas em Abril a circulação diminuiu para os 30 mil.

 

O novo diário de informação geral - o i - ainda não foi analisado pela APCT, não constando do relatório hoje divulgado.

 

publicado por paradiselost às 15:31

23
Jun 09

O aumento desenfreado do desemprego, as declarações do Cónego da Sé do Funchal e a reunião international sobre as Baleias foram os temas sujeitos aos comentários de Miguel Cunha e Marco Freitas.

 

http://ww1.rtp.pt/multimedia/index.php?tvprog=15790

 

publicado por Marco Freitas às 13:19

22
Jun 09

 Leia este artigo.

 

http://www.marketingconsultores.com.br/livros_eletronicos.html

 

 

publicado por Marco Freitas às 15:50

Quase metade da população portuguesa lê jornais regionais, preferindo os semanários, concluiu o Bareme Imprensa Regional, divulgado no final da semana passada.

 

O estudo anual realizado pela Marktest indica que 49,7 por cento dos portugueses lê imprensa regional, preferindo 28,3% os semanais, 8,6% os mensais, 8,1% os quinzenais/bisemanais e 7,1% os diários.

 

Já os jornais nacionais de informação geral são lidos por 65,7 por cento dos portugueses.

 

Ainda de acordo com o estudo, é no distrito de Castelo Branco, com 71,3 por cento, que se lê mais jornais regionais, seguido de Leiria (69,2%), Coimbra (68,8%), Santarém (64,8%) e Aveiro (64,2%).

 

Lisboa é o distrito onde o valor médio de audiência de leitura dos jornais regionais é menos elevado com 31,8%, seguido do Porto, com 36,7%.

 

Em termos de perfil, as faixas etárias entre os 25/34 e 35/44 são as faixas onde há mais leitores de imprensa regional, embora nas faixas de 55/64 e mais de 64 anos o consumo deste segmento de media ultrapasse o consumo de jornais nacionais de informação geral.

 

Classe média/baixa e as regiões do Litoral Norte e Litoral Centro completam o perfil.

publicado por paradiselost às 09:58

19
Jun 09

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 A Câmara Municipal de Braga está "interessada e disponível" para integrar o projecto da candidatura ibérica ao Mundial de futebol de 2018 ou 2022, revelou Mesquita Machado.


O autarca foi contactado pelo presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Gilberto Madail, que recebeu de Mesquita Machado a total disponibilidade para se aliar à candidatura e disponibilizar uma solução para adequar a lotação do Estádio Municipal de Braga às exigências da FIFA.


"Já tive uma conversa com o presidente da FPF e transmiti-lhe que estamos perfeitamente disponíveis para participar nesse evento e colaborar com as nossas instalações", afirmou o responsável.


O novo recinto tem capacidade para 31.000 lugares, mas os requisitos da FIFA para as candidaturas a um Mundial fixam um mínimo de 40.000 cadeiras, exigência que Mesquita Machado diz ser "exequível e ultrapassável, sem grandes custos".


"Essa exigência é perfeitamente possível de ser contornada. O estádio tem capacidade para 31.000 lugares, mas pode ser instalada uma bancada suplementar no topo Norte para resolver essa questão", explicou o autarca.


Braga junta-se, desta forma, a Faro e Loulé, outros dois municípios, que repartem a gestão do Estádio Algarve, que já transmitiram a disponibilidade em integrar também a candidatura de Portugal e Espanha ao Mundial de 2018 ou 2022.


Tal como terá de suceder com o Estádio Municipal de Braga, também o Estádio Algarve, actualmente com capacidade para 30.000 lugares, teria de ser alvo de uma ampliação, que substituiria as bancadas provisórias dos dois topos do recinto.


Caso Braga e Algarve avancem, Portugal passaria a ter cinco estádios "elegíveis" para a candidatura com Espanha, com os dois recintos a juntarem-se à Luz (65.000), Alvalade (50.000) e Dragão (52.200), até ao momento os três únicos recintos lusos que respeitam os critérios da FIFA.


No plano ibérico, a oferta alargar-se-ia para um total de 14 estádios com capacidade para integrar uma candidatura e ofereceria ao lado português uma projecção do território de Norte a Sul
».

 

publicado por paradiselost às 10:30

braga_outdoor-8x3-final3

 

Tem lugar amanhã, Sábado, dia 20 de Junho, pelas 16:30 horas no Museu D. Diogo de Sousa, na Colina da Cividade em Braga, a Sessão Pública de Apresentação da Candidatura do Dr. Ricardo Rio à Presidência da Câmara Municipal de Braga.
 
Tal como sucedera nas Eleições Autárquicas de 2005, Ricardo Rio volta a encabeçar a candidatura da Coligação "Juntos por Braga", que congrega o PSD, o CDS/PP e o PPM, tendo o acordo para a reedição desta coligação eleitoral sido subscrito pelos dirigentes locais destes Partidos no passado dia 8 de Junho.
 
Recorda-se que nas eleições anteriores a Coligação obteve o melhor resultado de sempre, em número de votos, percentagem e mandatos, posicionando-se a escassos 5.000 votos da candidatura do Dinossauro Autarca Socialista, Mesquita Machado, que recentemente completou 32 anos à frente dos destinos da Autarquia.
 
Depois de um mandato em que manteve uma dinâmica assinalável, quer na formulação de propostas no Executivo Municipal, quer no contacto diário com Munícipes e diferentes instituições, a candidatura protagonizada por Ricardo Rio parte para este acto eleitoral com legítimas e fundadas aspirações à conquista da Câmara Municipal de Braga, objectivo que já foi assumido por prioritários pelas Direcções Nacionais e Distritais dos Partidos que suportam a Coligação.
 
Neste sentido, estarão presentes nesta Sessão Pública os líderes do PSD e do PPM, Dra. Manuela Ferreira Leite e Deputado Nuno da Câmara Pereira, e o Vice-Presidente do CDS-PP, Deputado Nuno Melo, bem como o Coordenador Autárquico deste Partido, Deputado Helder Amaral, para lá de vários outros Dirigentes e Autarcas nacionais, distritais e concelhios, e cidadãos Bracarenses de todos os quadrantes políticos e sociais.
 
A Sessão contará com intervenções do Presidente da Comissão de Honra e do Mandatário da Candidatura, além do próprio Candidato à Presidência da Câmara Municipal de Braga.
 
Desde o passado dia 8 de Junho, começaram a ser colocados os primeiros outdoors da Coligação a cidade.

 

publicado por paradiselost às 10:16

 
 

Mais de metade (51%) dos administradores de Hopsitais Portugueses encaram  a comunicação com os media como um factor estratégico para o bom funcionamento da instituição.

 

Essa preocupação reflecte-se na “disponibilização de porta-vozes para reportagens”, em 71% dos casos, e “envio regular de comunicados de imprensa”, em 67% das unidades de saúde.

 

Entre os temas mais divulgados estão “Investimentos” (44%), “Informação sobre avanços científicos” (33%) e “Resultados Financeiros” (29%).

 

Estas são algumas das principais conclusões reveladas pelo 1.º Estudo Nacional “Comunicação Hospitalar em Portugal”, realizado junto de 90 Hospitais gerais, públicos e privados, de todo o país.

 

Uma iniciativa conjunta da Breathe Health®, divisão de saúde do Grupo Inforpress, e Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP), da Universidade Nova de Lisboa.

 

O universo total das instituições inquiridas (100% dos 45 Hospitais) considera “Atenção e Relação com os Doentes” como o mais importante na comunicação hospitalar e 93% investe aí a maior parte do orçamento .

 

Essa preocupação reflecte-se nos suportes de comunicação utilizados: “Telefone” (100%), “Caixas de Sugestões” e “Respostas a Reclamações” (96%), “Folhetos Explicativos” (93%) e “Código de Deveres e Direitos do Doente” (91%).

 

Na dinâmica de comunicação com os pacientes, os enfermeiros são

interlocutores preferenciais (93% dos casos), seguidos de médicos (76%) e administração (60%).

 

Neste aspecto, 44% das instituições dão formação a enfermeiros e médicos sobre como comunicar com os doentes, mas o capítulo das notícias negativas (33%) e crise (18%) parece ficar em segundo plano .

 

O factor motivacional assume um peso fundamental no processo.

 

De facto, 89% dos inquiridos assumem que é necessário alavancar a motivação dos profissionais envolvidos na comunicação hospitalar e, para 82%, é mesmo imperativo uma mudança de mentalidades.

 

Por outro lado, 71% referem a necessidade de formação específica em técnicas de comunicação.

 

Do universo inquirido, 50% atribui importância estratégica às relações com opinião pública.

 

No entanto, o investimento não acompanha a preocupação: apenas 16% dos Hospitais canalizam uma parte significativa dos recursos ao relacionamento com a opinião pública.

 

Relativamente às acções com a comunidade, colaboração com associações locais é a iniciativa mais referenciada (84%), seguida de contactos através do website (69%), participação em campanhas de saúde (58%) e organização de exposições (53%).

publicado por paradiselost às 10:09

jclourenco.jpg

 

“Antes do Verão” a Impresa Publishing quer implementar conteúdos online pagos, avançou José Carlos Lourenço, director-geral da Impresa Publishing, em entrevista ao M&P publicada na edição de hoje.

 

“Acho que é um passo na direcção certa e é inclusive um projecto que tem várias etapas”, comenta.

 

“Vamos começar com algo menos ambicioso, do ponto de vista tecnológico e de modelo de negócio, mas é uma primeira resposta a estas preocupações de sermos consequentes com aquilo que defendemos, que é produzirmos bons conteúdos e que tenham retorno pelo conteúdo”, continua.

 

”Alguns serão conteúdos que já existem empacotados doutra forma” e outros serão “produzidos numa perspectiva de estarem no pay wall que implicar chegarmos a um target já muito bem definido, com características diferentes daquele que é o target mais generalista que normalmente acede aos conteúdos livres”.

 

A extensão de marcas de imprensa para televisão, à semelhança do que sucedeu recentemente com a Exame Informática, é outra das apostas da estratégia da Impresa Publishing.

 

publicado por paradiselost às 10:00

18
Jun 09

 

 

 

Miguel Torres Cunha e Marco Freitas, dirigidos por Luís Filipe Jardim, comentaram a reunião do PS-M dedicada à análise dos resultados das Europeias e ao futuro do partido. Para além deste temas abordaram a entrega da petição dos professores da RAM para o descongelamento do tempo de serviço.

Cristiano Ronaldo e toda a envolvência da sua ida para o Real Madrid foi o terceiro tema em análise...

 

 

VEJA O TELEJORNAL AQUI

publicado por Marco Freitas às 12:30

Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
20

21
24
25
26
27

28


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Contador de Visitas
Sobre mim e autores
pesquisar
 
links
blogs SAPO