Comunicar pode ser fácil... Se no tempo que a vida nos permite procurarmos transmitir o essencial, desvalorizar o acessório e contribuir, num segundo que seja, para que a mensagem se assuma como tal e não como um universo de segredos...

08
Jan 11

 

 

Traços gerais

 

Na Região Autónoma da Madeira, o mundo da comunicação social continuou a ser assolado pela disputa entre o Diário de Notícias da Madeira e Alberto João Jardim por causa do Jornal da Madeira.

Os principais matutinos tiveram um ano de imenso trabalho, visível a vários níveis, desde as batalhas legais e comerciais às alterações editoriais que foram sofrendo ao longo do ano e às mudanças no campo dos recursos humanos. Nos restantes sectores da comunicação social destaque para a atribulada renovação da RTP-Madeira.

 

Em todo o país, a crise e as dificuldades financeiras das empresas influenciaram negativamente o mercado publicitário, do marketing e das empresas de comunicação.

 

O 20 de Fevereiro também não passou ao lado do mundo da comunicação social. Primeiro ao exigir dos jornalistas um esforço titânico para noticiar a tristeza, a desgraça e o desespero de uma terra assolado pelo inesperado ou de famílias em sofrimento; segundo, numa fase posterior, no âmbito do esforço de recuperação, na colaboração e na promoção de campanhas de comunicação pura de apoio à Região em geral como destino turístico de eleição e como terra necessitada de ajuda social.

 

No espaço nacional, na TV, foi o ano da ETV, um novo canal de TV Online e por Cabo, inovador e criado para um público muito específico, adicionando mais-valias ao grupo Económico. As questões que envolveram a Ongoing foram outro foco de polémica na comunicação social nacional. O mundo de internet foi repleto de novidades, com influência no subsector imprensa, como o caso do lançamento dos IPAD’s e a discussão em volta do impacto dos sites e dos blog informativos devido ao papel do Wikileaks.

 

Cronologia

 

O *astrisco* apresenta uma breve súmula de acontecimentos relacionados com a comunicação social em 2010 procurando demonstrar o actual estado de coisas do sector:

 

-       5 de Janeiro, Diário Económico - O ano começa com uma primeira notícia perspectivando que o mercado publicitário em 2010 iria crescer até 5%, segundo a Carat. Os cortes no investimento seriam liderados pela banca e pelas seguradoras, enquanto que os maiores investimentos serão nas áreas da higiene pessoal, da alimentação e do comércio.

-       8 de Janeiro, Jornal de Negócios  - Dando continuidade à novela do fim do telejornal de Manuela Moura Guedes, ficamos a saber que a gravação da audição da pivot gerou mal-estar na ERC já que dois técnicos da ERC que estavam a instruir as alegações pediram escusa do processo por existirem divergências na forma de registo dos depoimentos de Moura Guedes e Eduardo Moniz.

-       19 de Janeiro, Jornal de Negócios – notícia que dá conta que a maioria dos títulos não pretende aumentar os preços de capa em 2010. A esse propósito, Martim Avillez Figueiredo, director do “I”, cargo que viria a deixar mais tarde em Abril, recordava que era importante ter em conta o impacto da crise nos bolsos dos portugueses e a consequente diminuição do consumo de jornais.

-       No mesmo dia, o mesmo jornal sublinha que Marcelo Rebelo de Sousa está disponível para negociar os seus comentários com o outro canal, na sequência da polémica entre a RTP e a ERC a propósito da sua saída. Com a saída de Vitorino, segundo a RTP, não foi possível encontrar uma solução que permitisse manter o programa de Marcelo sem contrariar as recomendações da ERC. Mais uma saída polémica do comentador, que voltará ao canal com quem anteriormente se incompatibilizara e o censurara. Curioso!

-       22 de Janeiro, Jornal de Negócios – a OPA da Ongoing à TVI mostrava ser uma carga de trabalhos. Desta vez, uma decisão da ERC sobre a OPA parece confundir a Autoridade para a Concorrência. A ERC manifestou-se contra a compra da TVI em 35% deixando todos perplexos e evidenciando o desnorte do sector e das entidades competentes. O negócio só seria possível, dizia a ERC, como se mandasse no mercado, que a Ongoing deveria vender os 23,5% que detém na Impresa.

-       25 Janeiro, Jornal da Madeira – Alberto João Jardim publica artigo de opinião “O problema de certa comunicação social na Madeira”, dando continuidade À saga de 2009 e indiciando o ano atribulado que 2011 seria neste sector na Região. Um artigo onde dá quatro razões para algumas das deficiências da comunicação social na Madeira que faz ataques pessoais a si e à sua politica.

-       27 de Janeiro, Jornal da Madeira – notícia sobre a sucessão na RTP Madeira, onde se lê que há dois candidatos para substituírem Leonel Freitas. Os candidatos apresentados são Ricardo Miguel Oliveira e Luís Faria Paulino.

-       10de Fevereiro, Jornal de Negócios – Lê-se: “ERC obriga Ongoing a provar que sai mesmo da Impresa”. É o título da notícia que aborda as incidências de um processo atribulado, a sua cronologia e revela que a ERC impede a presença simultânea da Ongoing em grupos que têm 75% da publicidade televisiva. Mais, para a Ongoing entra na Media Capital não poderá ter mais de 1% na Impresa, nem mesmo de forma indirecta.

-       3 de Março, Jornal da Madeira – Notícia que revela que a RTP-Madeira terá como terá como Director “administrativo” Martim Santos e como Director de Conteúdos o jornalista Gil Rosa, desfazendo desta maneira uma manancial de informação errada e especulativa em redor do potencial substituto de Leonel Freitas.

-       18 Março, Diário Económico  - O grupo Económico, detido pela Ongoing, anunciou que em Abril arranca  com a Económico TV, online e nos canais 200 e 201 da ZON.

-       24 de Março, Diário Económico – Grupo Lena admite venda do jornal “I”, confirmando o fracasso de ter lançado um projecto em plena crise. Se tivesse resultado, teria lançado as bases para um excelente projecto editorial. A saída de Martim A. Figueiredo foi sintoma de que algo não estava bem com o jornal, apesar de ter ganho prémio de jornal europeu do ano.

-       6 de Abril, Diário Económico – notícia que anuncia a campanha em prol da Madeira, denominada “Este ano eu vou à Madeira”. A campanha  sublinha que a melhor forma de ajudar a Madeira a recuperar do 20 de Fevereiro é viajar até à ilha. Para o efeito junto nomes famosos de Portugal.

-       7 de Abril, Diário de Notícias da Madeira - Ouvido na Comissão de Ética, Sociedade e Cultura, Santos Silva, afirma que “Apoio do GR ao ‘JM’ “não é compreensível””.

-       15 de Abril, Diário Económico – “Campanha ‘pro bono’ pela Madeira junta 30 figuras públicas” é o título da notícia que recorda como uma conversa iniciada no Facebook se tornou numa campanha para ajudar a Madeira a recuperar do desastre de 20 de Fevereiro.

-       18 de Abril, Diário de Notícias da Madeira – na última página, o DNM publica a reacção do Secretário Regional dos Recursos Humanos a um comunicado publicado pelo DNM sobre o Jornal da Madeira (no dia 15 de Abril). Brazão de Castro, entre outros aspectos, frisa que não é primeira vez que a EDN “pretende encontrar um bode expiatório para justificar medidas contra os seus trabalhadores”. A EDN não deixou de reagir, no mesmo espaço, ao titular dos assuntos da comunicação social regional, recordando que a “a actuação do Governo Regional no Jornal da Madeira viola as leias da concorrência...”

-       25 de Abril, Diário de Notícias da Madeira – notícia que fala do facto da “Imprensa francesa mostra Madeira recuperada”.

-       3 de Maio, Diário de Notícias da Madeira – Celebra-se o dia Mundial da Liberdade de Imprensa, facto que mereceu notícia por parte do DNM que recolheu a opinião do Sindicato de Jornalista sobre o jornalismo. “Questão económica ameaça jornalismo” é o título da notícia.

-       12 de Maio, Diário de Notícias da Madeira – Sob o título “Comissão de sábios cria problemas à RTP-M”, o DNM revela que o conselho de opinião da RTP enviou uma carta à administração do canal posicionando-se contra a criação de uma comissão de acompanhamento estratégico da RTP-M. Uma ideia que na sua essência é extremamente positiva veio a colher muitas criticas. A constituição da equipa é a principal razão.

-       13 de Maio, Jornal da Madeira – O estranho caso da subtracção dos gravadores a jornalistas pelo deputado açoriano Ricardo Rodrigues – um dos casos polémicos do ano mas ainda assim com efeitos mediáticos reduzidos – merece notícia de última página no Jornal da Madeira (isto para além de alguns artigos de opinião antes publicados). O JM dá conta que a Comissão Parlamentar de Ética, Sociedade e Cultura rejeitou analisar a conduta do deputado. O Sindicato de Jornalista manifestou-se contra esta decisão e revelou que voltará a insistir na matéria. Certo é que com o passar do tempo o assunto caiu no silêncio absoluto.

-       13 de Maio, Diário de Notícias da Madeira – a última página do Diário é preenchida com uma declaração de Luís Calisto que revela as razões para a sua demissão do cargo de director do DNM. Entre muitos outros comentários, L. Calisto imola-se na praça pública defendendo que se a razão dos ataques de Jardim ao DNM muito se deve à sua pessoa, então o melhor é defender o Diário com a sua saída. É um ponto de vista... Que deve ser respeitado.

-       27 de Maio, Jornal da Madeira – com o título “Uma grande ofensa contra a autonomia”, o Jornal da Madeira divulga que os conselhos de gerência e administração dos jornais da Madeira serão chamados à Comissão de Ética da Assembleia da Republica na sequência de um requerimento apresento pelo deputado do CDS/PP da Madeira para analisar a situação da imprensa regional... Como se aquele fosse o lugar mais isento para o fazer. Um debate útil para se fazer mas longe dos interesse políticos que têm alimentado as guerras na comunicação social regional.

-       2 de Julho, Diário de Notícias da Madeira – numa reportagem de duas páginas, o DNM dá reflexo da deliberação da ERC sobre a relação do Governo Regional e o Jornal da Madeira. O DNM sumariza o relatório no título: “ Governo Regional nefasto para comunicação social”.

-       14 de Julho, Diário de Notícias da Madeira – notícia que destaca a intenção do Governo Regional de vender o Jornal da Madeira, uma informação prestada pelo Secretário Regional no âmbito da discussão do Orçamento Rectificativo.

-       28 de Julho, Jornal de Negócios – o futuro do jornalismo foi questionado numa reportagem sobre o impacto do site Wikileaks e no seu poder para mudar as relação dos media com as fontes. Julian Assange, já então estava em destaque... Mas, o fim do ano seria mais animado para o fundador da Wikileaks.

-       31 de Julho, Diário Económico – notícia sobre um previsível pagamento de licença para os serviços de clipping. A ideia é proteger os direitos de propriedade intelectual.

-       2 de Setembro, Diário Económico – Segundo dados da APTC a imprensa económica encetou recuperação e confirma também uma recuperação dos títulos de outra natureza. Em síntese, a crise afecta com menos força a comunicação social.

-       2 de Setembro, Diário Económico – “Visão, RTP e TSF são as marcas de media com melhor reputação”, é o título da noticia baseada na lista da Marktest que apresenta os media mais reputados no nosso País. O Diário Económico lidera na informação económica-financeira.

-       14 de Setembro, Diário Económico – o jornal de economia dá a conhecer que a receita das televisões europeias subiram 10%, outro sinal de que a crise não foi absolutamente madrasta para o sector da comunicação social.

-       14 de Setembro, Jornal de Negócios – Ficamos a saber que Ricardo Costa assumirá a direcção do Expresso em 2011.

-       15 de Setembro, Diário de Notícias da Madeira – Foi o dia em que o Parlamento nacional começou a discutir a comunicação social regional e os problemas causados pelo Governo Regional e o Jornal da Madeira na mesma. O objectivo, segundo, José Manuel Rodrigues era a “obtenção de prova de que há violação das leias de concorrência e que isso pode afectar o pluralismo informativo na Região”.

-       16 de Setembro, Diário de Notícias da Madeira – No âmbito das audições sobre a comunicação social regional na AR, foi ouvida a Administração do Grupo Liberal que acusou o Governo regional de “prática criminosa” com a intervenção que pratica no Jornal da Madeira.

-       17 de Setembro, Jornal da Madeira – “Governo Regional põe ERC em tribunal” revela o jornal alvo de toda a polémica para anular a deliberação da ERC sobre a comunicação social regional e o JM. Na mesma edição outra notícia dava conta da reacção de Jardim que classificou o relatório de tendencioso.

-       17 de Setembro, Diário de Notícias da Madeira – DNM, jornal responsável por despoletar toda a polémica e pela queixa à ERC sobre os apoios do Governo Regional ao JM, anunciava em título: “Deliberação (ERC) veio confirmar denúncias com vários anos”, numa notícia em que dava conta da posição de todos os partidos da oposição na Madeira. O DNM sublinha ainda, noutra notícia, que “Vogal nomeado pelo PSD vota a favor da deliberação da ERC”.  Ainda na mesma edição, largamente dedicada ao tema, o DNM noticia que a Autoridade da Concorrência e a ERC também irão à Comissão de Ética da AR.

-       17 de Setembro, Diário Económico – Também a nível nacional o assunto mereceu destaque em vários jornais tendo o DE noticiado que “Jardim recorre a Tribunal para anular decisões dos reguladores”.

-       17 de Setembro, Diário Económico – Surge movimento anti-privatização da RTP, conforme noticia este jornal: “Socialistas não vão deixar passar privatização da RTP”. O mentor Arons de Carvalho é o mentor do movimento. Concordando com a existência de um meio de comunicação público –e detido pelo Governo – acho de uma absoluta incongruência que os mesmo defensores da RTP assumam que o Estado não possa ter meios impressos.

-       18 de Setembro, Expresso – “ERC é obstáculo à liberdade de imprensa” é o título da notícia que dá conta da demissão de Luís Gonçalves da Silva, acusando a ERC de dificultar a liberdade de imprensa.

-       21 de Setembro, Diário de Notícias da Madeira – comentários de Marcelo Rebelo de Sousa incendeiam ainda mais a luta entre o DNM e o Governo Regional. Em declarações ao DNM o professor diz que “todos têm razão, e ninguém tem razão”, acrescentando, segundo o DNM, que se trata de uma situação anómala em democracia... Afinal, a democracia não é o regime que permite espaço a todos, inclusive a liberdade dos Estados em disporem de meios para comunicar? Não é nesse pressuposto que se manem intocável a RTP? Mais tarde, em comunicado, Alberto J. Jardim vem afirmar que as declarações do comentador foram deturpadas pelo DNM.22

-       22 de Setembro, Jornal de Negócios – a sábia e supra conhecedora do sector ERC é contestada pela Câmara de Famalicão que contesta uma deliberação que fala de indícios de discriminação da autarquia sobre o Jornal de Famalicão na colocação de publicidade. Afinal, ao contrário do que se faz transparecer, não é só na Madeira que a comunicação social sofre de problemas...

-       21 de Setembro, Diário Económico – O sector da imprensa norte-americana procura soluções para garantir a sua sobrevivência. A ideia mais recente está relacionada com um modelo que prevê o preço dos anúncios ajustado aos resultados. A ideia é atrair novos anunciantes. O sistema oferece acordos com base em resultados, isto é: se uma série de anúncios não resultar no aumento de 10% no volume de vendas, a última publicidade da série será gratuita. Fico curioso em saber como se mede a prática de dumping com este novo modelo ou com outros que estão a ser aplicados de forma directa e individual pelos jornais em Portugal. Afinal, há muito que se vende espaço a baixo do preço de mercado... Sem comentários de maior por parte da ERC.

-        22 de Setembro, Diário de Notícias da Madeira – o jornal revela que o DNM será ouvido na AR a propósito do inquérito da comissão de ética para analisar a situação de comunicação social regional.

-       23 de Setembro, Jornal de Negócios – “Administração do DN acusa Jardim de querer liquidar o jornal”, este é o título que este jornal nacional dedicou à inquirição na AR, dando um inusitado destaque ao tema.

-       23 de Setembro, Diário de Notícias da Madeira – como seria de esperar, o DNM deu um forte destaque à presença dos seus representantes na AR, sob o título “Diário em risco”. Em duas páginas descreveram a audição na Comissão de ética, deram destaque a várias vozes politicas sobre o tema.

-       14 de Outubro, Diário Económico – este jornal conclui que as entidades reguladoras (ERC E AdC) não têm poderes para actuar no Jornal da Madeira. Ou seja, apesar de todo o tempo dispendido à volta do tema e da análise à relação do JM com o Governo Regional e vice-versa, das conclusões indiscutíveis a que chegaram, nada podem fazer para alterar a situação e aconselham a via judicial. Pergunto: sendo assim, não teria sido menos dispendioso ter sugerido à partida essa solução, já que certamente tinham a noção das suas limitações?

-       20 de Outubro, Jornal de Negócios – Notícia revela que o investimento do Estado em publicidade representa 10% do mercado. Uma fatia importante que revela o nível de intervenção do Governo no sector da comunicação social.

-       21 de Outubro, Diário de Notícias da Madeira – O presidente do Conselho de Administração da RTP assegurou que a RTP-M continuará a ser canal e garante que no futuro os canais nos Açores e na Madeira não passam a meras janelas informativas, sem produção própria.

-       10 de Novembro, Diário Económico – Com o objectivo de evitar abusos e travar publicidade desleal online Bruxelas decidiu estabelecer novas regras no sector. Os fóruns na internet serão vigiados e está prevista uma nova classificação na publicidade.

-       16 de Novembro, Diário de Notícias da Madeira – a primeira página trás uma notícia soberba para o jornal: o DNM foi eleito Jornal Europeu do Ano, em categoria local, um prémio atribuído pela European Newspaper Award.

-       23 de Novembro, Jornal de Negócios – para fazer face à crise publicitária, o Público anunciou que vai apostar no “mecenato jornalístico” para o financiamento de reportagens. Os contactos mantidos pelo Público com empresas do PSI-20 visa a criação de um fundo para ultrapassar os constrangimentos financeiros do jornal.

-       3 de Dezembro, Diário de Notícias da Madeira – EDN coloca em Tribunal providência cautelar contra o financiamento ao JM.

-       4 de Dezembro, Jornal da Madeira – Governo Regional reage à providência cautelar da EDN na primeira página do JM e sublinha: “A Empresa diário de Notícias, o seu proprietário Michael BLandy e o seu administrador José Câmara têm procurado, por diversas vezes atribuir ao Jornal da Madeira as culpas pelos seus problemas de gestão...”

-       9 de Dezembro – Diário Económico  - “Mercado publicitário cresce 4,9% em 2010 e bate record em 2012”, esta é conclusão do estudo da agência ZenithOptimedia que apontam os mercados emergentes e a Internet com os responsáveis do crescimento mundial da publicidade.

-       10 de Dezembro – Jornal de Negócios  - “PS conclui que Madeira viola liberdade de imprensa”, conclusão inserida no relatório sobre a situação da imprensa na região, após audiências na Comissão de Ética da AR.

-       16 de Dezembro – um relatório da ERC mostrou que o partido da oposição (PSD) está sub-representado no canal 1 e por isso, segundo o título da notícia, o “PSD quer explicações da direcção da RTP sobre a representação do partido no canal”.

-       19 de Dezembro, Diário de Notícias da Madeira – o DNM anuncia que o acesso à sua edição imprensa na NET passa a ser paga a partir de Fevereiro. OS assinantes beneficiam do acesso gratuito.

-       23 de Dezembro, Jornal de Negócios – Estudo da OBERCOM, com base num inquérito aos jornalistas portugueses conclui que “O erro e a falta de rigor são os maiores pecados do jornalismo actual”.

 

 

 

 

publicado por Marco Freitas às 17:14

Janeiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
27
28
29

30
31


Contador de Visitas
Sobre mim e autores
pesquisar
 
links
Logo do astrisco*comunicar
blogs SAPO